13 de novembro de 2010

Querido Pai Natal

Lisboa, 13 de Novembro de 2010,

Querido Pai Natal,

Talvez escreva esta carta um pouco cedo demais. Todavia, o medo de que tenhas muito para fazer e de que te esqueças de mim é grande. Sei que és um velhinho muito querido mas atarefado. Deves receber milhares de milhões de cartas vindas de todo o mundo e, com o aproximar do Natal, imagino a quantidade de pedidos que chegam aí à Lapónia.
Tens sido um grande amigo durante todos estes anos, no fundo, desde que existo. Sempre tive o hábito de te escrever uma carta, todos os anos, com os meus pedidos de presentes. E tu, como sempre, correspondeste às minhas expectativas. No dia 25, lá escrevia eu uma outra carta a agradecer-te a generosidade. Recebi sempre o que queria: os meus brinquedos caros, os desejos de prosperidade e de saúde para mim e para os que me rodeiam.
Sei que tens muito trabalho e, seguramente, pedidos mais importantes do que os meus. Tens crianças pobres para consolar com um brinquedo, pessoas doentes que pedem melhoras para as suas doenças, pessoas sozinhas que precisam de um simples presente que lhes dê conforto... Eu sei. Também sei que tenho uma vida boa, felizmente, e que não necessito de te pedir mais nada. Contudo, eu sei que recebes de Deus um poder especial que te permite ler e escutar todos os pedidos. Infelizmente, para o mal da Humanidade, não tens nas tuas mãos o poder de modificar o mundo. Há coisas que não podes fazer.
Este ano, para além de alguns pedidos que, oportunamente, te enviarei numa outra carta, há um pedido em especial que te quero fazer. É um pedido mesmo muito especial. Sabes, eu estou a gostar de uma pessoa. Sim, pensarás: «São coisas que não me competem...». Tens razão. Mas o meu caso é mais especial. Sabes, não é um "gostar" daqueles fáceis de resolver. É mais complexo do que isso. Eu quero ficar com essa pessoa. E quero o seu amor como presente de Natal. Não sei se até já gostará de mim. Talvez goste. Nesse caso, faz com que as coisas tomem um bom caminho.
Intercede por mim. Sim, não te custa nada. Era o meu presente de Natal mais importante. Eu sei que nem sempre sou um menino bem comportado e bom. Por vezes, sou ruinzinho, mas acredito que darás um jeito. Até porque se eu não fosse assim, o mundo não tinha graça alguma.

Espero que recebas esta carta aí na tua casa. Tenho a certeza de que a irás ler com todo o carinho e atenção.
Um beijinho para ti, para as renas e, em especial, para o Rudolph.




Lots of Love,
Mark

7 comentários:

  1. Simples magia natalícia,meu querido Mark!
    És decerto merecedor desse pedido que te vem directamente do coração.
    Se eu fosse o Pai Natal, podias contar com a satisfação do teu anseio.

    ResponderEliminar
  2. mark espero que esse desejo se concretize. mereces. =D
    eu pelo menos no lugar dele gostava de ter uma pessoa assim sensivel como tu.
    abraços.

    ResponderEliminar
  3. O Pai Natal nunca desilude quem merece, por isso tens o teu pedido garantido!
    Não sei é se ele vai conseguir pôr a prenda no sapatinho que está por cima da lareira :)

    ResponderEliminar
  4. Esta carta foi absolutamente adorável. Deus queira que o Pai Natal te conceda esse desejo.

    ResponderEliminar
  5. mas será que o R. não corre o risco de sufocar dentro do pacote? ;)

    Quase que li este post com a música da Mariah como banda sonora :D

    ResponderEliminar
  6. Speedy: É incrível, mas eu não me inspirei na letra da música. Nem me lembrei disso! :)

    Eu e a Mariah estamos em sintonia. Só agora vi que esta carta está parecida com a letra da música. :)

    ResponderEliminar
  7. Que o seu pedido, e de todos sejam atendidos, afinal ta chegando a época d união, solidão & companheirismo, alegria & tristeza, onde o espirito natalino nos aquece e nos une..

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)