23 de agosto de 2010

Obrigado, Brasil :)



Foi com alegria que constatei que o meu blogue recebeu mais de 1000 visitas vindas do Brasil. Fiquei feliz, uma vez que a minha relação com a pátria irmã já vem de longe...
O pai nasceu em Moçambique, creio que já tive a oportunidade de o dizer num dos meus textos. No entanto, com o início da Guerra Colonial naquele país e a consequente instabilidade política e social que se viveu, os avós depressa sentiram que outros tempos estavam a caminho, e bem rápido... Por isso, e ainda antes da Revolução de Abril, os avós e quase toda a família paterna rumaram ao Brasil, evitando as injustiças cometidas durante o processo revolucionário. Estiveram no Brasil, mais concretamente no Rio de Janeiro, durante alguns anos. Por esse facto, a adolescência do pai e os seus primeiros anos de jovem adulto foram passados em África e no Brasil.
O pai ficou marcado por estas experiências. O amor por estes países, as suas culturas e tradições marcaram-no decisivamente. Desde criança que o ouço falar do Brasil com todo o carinho. Enquanto os pais estiveram casados, o escritório do pai em casa estava decorado num misto da cultura africana e brasileira. Recordo-me de umas máscaras africanas que enfeitavam a parede, bem como uma estatueta que representava a Iemanjá, entre outros artigos. Também me recordo de uma época em que a mãe decidiu mudar a sua mobília de quarto. O pai encomendou uma mobília importada, de uma madeira africana exótica! Demorou mais de um mês a chegar e foi caríssima. O pai (é) era muito extravagante.
Dessa forma, cresci embebido nessas culturas que sempre me fascinaram. Li, por influência do pai, Machado de Assis, Jorge Amado, Mia Couto, etc, adquirindo um gosto acrescido pelo Brasil e por Moçambique. Aliás, o pai tem a cidadania moçambicana e não se sente muito português. É compreensível. Esteve em Portugal, efectivamente, em 1982, salvo umas férias em 1966.
É como se eu tivesse um elo qualquer que me liga ao Brasil. Creio mesmo que muito do meu lado mais irrequieto e quente vem por influência paterna. A mãe diz que eu sou o resultado de todas estas influências.
Desde a criação deste blogue, um dos meus objectivos foi o de chegar aos PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa), Brasil, Timor e também aos restantes países do globo. Fico realizado ao saber que o povo irmão brasileiro visita o meu blogue. Por vezes, recebo comentários carinhosos do outro lado do Atlântico, o que me coloca um sorriso nos lábios. Os meus textos são apreciados e, muitos deles, úteis em termos históricos, culturais e artísticos. Ainda bem que assim o é.
Obrigado, mais uma vez! :)




Lots of Love, Mark

4 comentários:

  1. Confesso que não sinto fascinado pelo Brasil, por motivos pessoais.

    Mas penso sempre que têm algo mais que o nosso país. Penso que um patriotismo mais demarcado que o nosso: talvez devido à sua história.

    PS.: Mia Couto é um escritor absolutamente fantástico. Adoro!

    ResponderEliminar
  2. Eu, infelizmente, só pus o marcador de visitantes muito recentemente, e nas mais de 8200 visitas de 72 países, o Brasil tem um segundo lugar, absolutamente imbatível com cerca de 800 visitas.
    Isso não me admira pois sou seguidor e vice versa de cerca de uma dúzia de blogs brasileiros.
    Tenho pena de não alargar o intercâmbio a outros blogs de outros países, mas isso é impossível, pois já é difícil gerir tanto blog que tenho no Google Reader.

    ResponderEliminar
  3. Oi Mark. Eu que agradeço o fato de vc ter um blog interessante como esse. Gosto de ler o que vc escreve principalmente seus textos históricos. Dos quue eu mais gostei tem o da Dona Maria e um texto não de história mas sobre o bullying. Continue passando sua mensagem positiva e escrevendo como vc escreve. Um beijo desde o Brasil.

    ResponderEliminar
  4. Parabens pelas visitas, o blog faz por isso, sem duvida!
    Não resisti em roubar a aplicação para mim também, acho amorosa.

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)