30 de maio de 2015

Feira do Livro.


    A Feira do Livro 2015 começou na quinta-feira. Tive conhecimento através de um texto atinente aqui pela blogo. Uma vez que nada tinha para fazer, na véspera do último dia de aulas, propus ao meu amigo passarmos por lá.
 
     O conceito da feira é muito interessante. Torna-se usual, ano após ano, ir pelo menos num dia. Como estávamos em dia útil, e por ser o primeiro, conseguia-se caminhar com surpreendente tranquilidade, supondo eu que hoje, a um sábado, não se possa afirmar o mesmo.
      A variedade é um dos pontos fortes da feira. Há preços para a imensidão de gostos e carteiras. Tratando-se de uma oportunidade única para as livrarias, não admira que estejam todas representadas. Ainda que não tenha andado muitas horas, fui à maioria das barraquinhas. Atentei nos descontos, e compensa. Um manual de Processo Civil, a título de exemplo, que numa livraria do Atrium Saldanha está a perto de oitenta e cinco euros, na feira pouco passa dos sessenta e sete. O desconto, como se constata, é relevante. E vi, a par deste, inúmeros descontos que tornam uma visita à feira como imprescindível. Se podemos gastar menos por igual produto, quem se sujeita a pagar mais?
 
      Nos alfarrabistas, com atenção e paciência, há pequenos tesouros a preços ínfimos. Vi clássicos quase gratuitos, se atendermos ao que representam. Numa das incursões, fui abordado por um senhor espírita que, percebendo a minha curiosidade e a relativa à-vontade na doutrina, procurou esclarecer-me sobre pontos que há muito domino. A feira tornou-se de tal modo um centro de propagação literária e de estímulo à leitura, sendo alvo das atenções dos media e da população em geral, que nem à famosa Bimby foi indiferente. As senhoras lá andam, anunciando demonstrações gratuitas, interpelando os transeuntes, ávidas por vender a máquina dos sonhos!...
 
       Independentemente do que leva cada um à Feira do Livro, é inegável que estamos perante um evento dinamizador que atrai cada vez mais visitantes. Um caso antigo de sucesso que não perde a popularidade. Uma tarde, ou mais, que proporciona um bom passeio e compras inteligentes.
         A Feira deste ano terminará no dia 14 do mês que vem.

30 comentários:

  1. Não falho um ano e geralmente compro sempre algumas coisas previamente seleccionadas.
    Este ano, em tempos de aperto, não me posso alargar e só irei depois do dia 10, por motivos óbvios (a pensão é paga a 10 de cada mês).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compro sempre alguma coisa, ultimamente livros de Direito, sobretudo, que ficam bem mais em conta. Voltarei lá ainda.

      Eliminar
  2. A onde é essa feira?
    Lisboa, Porto?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom, mea culpa, não referi que a Feira do Livro é em Lisboa porque é um facto sobejamente conhecido. Em todo o caso, para leitores estrangeiros ou portugueses menos atentos, a Feira do Livro é um evento anual, durante quinze dias, sensivelmente, que tem lugar no Parque Eduardo VII, acima do Marquês de Pombal, em Lisboa.

      Eliminar
  3. Espero poder ir lá amanhã à tarde ;)

    Abraço amigo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom passeio ou, se for caso disso, boas compras, Francisco.

      um abraço. :)

      Eliminar
  4. Comprei tantos livros na Feira do Livro de Lisboa e fiquei sempre com a sensação de que "fiz um bom negócio". Aliás, o propósito deste evento é precisamente tornar os produtos mais acessíveis. Já se sabe que há outros tantos em que a nossa carteira, nem a do vizinho chegam para adquirir, mas são casos pontuais. Há que ter tempo e paciência para procurar com atenção. Ah! E a Feira do Livro, há muito que deixou de ser um evento apenas para comprar livros, uma vez que hoje és bombardeado com concertos, sessões de leitura, etc. Até já há espaços destinados à restauração. No fundo, é um óptimo programa para um Domingo ser menos entediante! :))

    Outra dica: na Feira da Ladra, que ocorre semanalmente, encontras livros de todas as áreas e a preços baratíssimos, aproveita! :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, sim. Há um pouco de tudo. Música, sessões de autógrafos, restauração... até se vende a Bimby!

      Livros doutrinários ficam bem mais em conta. Como esse que referi há outros mais.

      Sou de Lisboa e nunca fui à Feira da Ladra. Curioso.. :) Obrigado pela dica!

      Eliminar
    2. Shame on you! E olha que só vivi em Lisboa 3 aninhos! Mas já conheço bem os truques! :p

      Eliminar
  5. eu referi que não iria, mas encontrei no site da feira dois livros da editora Bizâncio a 5€ cada. e já tenho outros dois da mesma autora. se calhar, darei lá um salto rápido na ultima semana. com os livros assim baratos, duvido que sejam livros do dia.
    bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É irresistível para quem adora ler. No fundo, no fundo, tinhas de dar uma passadinha. :) Naturalíssimo!

      um beijinho.

      Eliminar
  6. Mark,
    eu ja tive um livro que eu
    organizei e editei aqui no Brasil
    e de um autor portugues
    lançado em Barcelos.
    Sei que nada tem a ver com
    a feira que vc cita, mas aproveitei
    o tema para compartilhar e
    também para dizer o quanto
    uma feira literária é importante.
    Espero vc la no meu Espelhando.
    Ótimo fim de semana.
    Bjins
    CatiahoAlc.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!

      As feiras literárias são bastante importantes. Não sei como é aí no Brasil, mas por cá os livros são um pouco inacessíveis dado o seu preço. Presumo que seja igual no país-irmão. Daí que estes eventos procurem incentivar o gosto pela leitura a preços aliciantes.

      Com certeza, passarei no seu espaço. :)

      um beijinho e continuação de um bom fim-de-semana.

      Eliminar
  7. Já não vou à feira do livro desde que era criança, fui lá uma vez quando vim de férias ao continente e na altura sabia lá o que era ler, ter prazer em folhear as páginas escritas por outra pessoa.
    Acho que o melhor é ficar afastado da feira é que tinha prometido que este ano com comprava livros, e já vão em 4, é um vicio, compro mais dos que leio :-S

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu nunca fui em criança, creio, começando a ir já em adulto. A partir dos dezassete, dezoito.

      Um livro é sempre um bom investimento; e ainda que não os leias nos próximos tempos, não desactualizam, isto é, se não forem científicos.
      Também tenho alguns na estante a chamarem por mim...

      Eliminar
  8. Sendo a maioria da ficção que consumo em formato audiolivro, os livros da feira não chamam por mim. A banda desenhada e os livros de tachos também compro sempre na língua original que raramente se encontra. Ainda bem que fizeste boas compras.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os formatos ebook são populares, mas acho que nunca substituirão os livros de formato tradicional. :)

      É... a Direito compensa sempre!

      Eliminar
  9. Gosto de muito de livrarias (ainda mais se tiverem um café junto) e por tabela me divirto nessas feiras também, acho que posso passar horas e horas fuçando entre livros. E sempre me apetece mais os livros impressos aos livros eletrônicos.

    Grande abraço meu amigo!.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu adoro livrarias. Ainda há poucas horas estive na baixa lisboeta e passei pela histórica Bertrand. :')

      Sem dúvida! Nunca li um livro em formato ebook. :)

      um grande abraço, amigo Latinha!

      Eliminar
  10. Tu dominas o espiritismo?!
    Conta tudo :O

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Domino. O pai sempre se interessou pela doutrina espírita e tinha os cinco livros da codificação kardecista em casa. Eu li-os. É interessante e, digo-te, faz sentido.

      Eliminar
  11. Eu conheço. Nunca concordei a pleno, pois oriento-me mais ora para a perspetiva xamânica e primitiva da espiritualidade humana ou para as filosofias orientais. Mas o próprio espiritismo é um desenvolvimento novecentista ocidental dessas tradições. Adoro o ambiente das mesas espíritas do século XIX, proficuamente anotado em experiências nas literaturas da época.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes não concordar, mas hás-de concordar, isso sim, de que se trata de uma doutrina muito coerente e lógica.

      O espiritismo não pretende ser seguimemto de nada; apenas estabelecer, doutrinariamente, os fenómenos espirituais, que são tão antigos e naturais quanto a humanidade. :)

      Eliminar
  12. Tento ir todos os anos porque gosto da feira e do ambiente e porque encontramos livros mais em conta.
    Este ano ainda não fui, mas quero ir sem falta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O ambiente é agradável, sim. E o mais importante: encontras livros a preços óptimos, bem mais em conta.

      Já lá voltei depois de ter publicado este post.

      Eliminar
  13. Olha, eu fui, logo nos primeiros dias. Deixei lá uma bela maquia, mas trouxe uns milhares de páginas para ler em casa! :D

    ResponderEliminar
  14. Respostas
    1. Ai, ai!!! Tens de ir. :) Mesmo que não compres nada, pega no teu namorado e vai. É um passeio giro.

      Eliminar

Um pouco da vossa magia... :)