22 de março de 2018

Red Sparrow.


   Mais uma sessão, mais um filme. A escolha de ontem recaiu no Red Sparrow, com a lindíssima Jennifer Lawrence, que aqui é uma espiã russa, apaixonada por um agente da CIA, norte-americano, claro está.
   Acredito que o filme seja tremendamente bom, contudo, para quem é apreciador e tem o sentido crítico apurado para filmes de espionagem e contraespionagem. Devo dizer que perdi o fio à meada, em linguagem comum. Quanto ao desempenho da actriz, diria que foi morno. Nada de excepcional, para quem já arrecadou um Oscar de Melhor Actriz. O filme é excessivamente longo e intrincado. Senti que tiveram alguma dificuldade para lhe encontrar um final decente, que não desanimasse, o que não conseguiram, lamentavelmente. Configurará um bom serão para quem gosta deste tipo de thrillers, destes bastidores das agências de informação. As cenas de tortura também eram escusadas. Fica de alerta para escolhas futuras.

2 comentários:

  1. O Filme retrata um país que todos adoram "Esquerda Unida" mas que no fundo ninguém quer lá viver... Já viste alguém a emigrar para a Rússia ou Venezuela?! Pois...

    O filme retrata a paixão do Tio pela sobrinha, que usa o seu poder para a tentar levar para a cama... Ele colocou-a numa "casa de putas" quando era a segunda ou terceira figura de Estado...
    Em nada ajudou a cunhada, mãe da sobrinha..
    Ela fez tudo para o destruir apenas e aceitou a ajuda americana para ajudar a mãe...
    Em Portugal quando se está doente, recorre-se a Deus... Nos países Comunistas recorrem ao Ocidente, assim como os muçulmanos e Africanos

    Grande abraço amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu achei-o super desinteressante e, pelo que já li, não fui o único.

      um abraço grande.

      Eliminar

Um pouco da vossa magia... :)