8 de junho de 2010

Um Novo Amanhecer

Gosto de acordar de manhã e sentir os raios de sol a tocarem ao de leve a minha cara. Sinto prazer com a alegria de um novo dia. É bom sentar em cima da cama e espreguiçar os braços, de forma a afastar o resto de preguiça que ainda vive em nós. Gosto de tomar o café da manhã na cama. Imagino como seria se estivesses aqui e colocasses uma pequena flor numa jarra, a ser oferecida com o leite, o sumo, as compotas e as tostas integrais. Idealizo o cenário que gostaria. Falta sempre o principal. Faltas tu.
Mas é sempre bom manter a nossa vaidade pela manhã. Adoro o cheiro do meu perfume que fica nos lençóis. Tenho esse hábito há imenso tempo. Antes de adormecer, coloco perfume em mim para senti-lo enquanto estou a dormir. Por vezes, durmo com um urso gigante, cor de pérola, que me foi oferecido no Natal passado. Sou assim. Especialmente único. Alguns dirão (e dizem...) que sou mimado, egocêntrico de forma exagerada e um pouco elitista. Como evitar as características que são assim tão visíveis? Gosto do meu mundo e gosto de moldá-lo à minha semelhança e à minha vontade. Gosto de ser diferente, gosto de não ser vulgar, bruto e rude. Sim, sou delicado, até no meu dormir. Detesto a luz forte e só gosto de meia-luz. Por isso, à noite, o meu espaço está sempre semi-iluminado. Ao acordar, sinto o sol a bater sobre a minha face. Gosto de acordar com o cabelo intacto, o que nem sempre é possível. Gosto daquele ar de arrumação, higiene e limpeza que fica no ar. Do meu livro, lido na noite anterior. Das minhas dez almofadas coloridas que dão vida à minha cama. Dos meus retratos, que me relembram, que te relembram e que trazem o que o passado levou consigo. Dos meus dossiers de lomba de várias cores, meticulosamente arrumados, que guardam toda a minha vida. Do meu diário íntimo, arrumado na gaveta entre a minha roupa interior, o mesmo lugar que ocupa desde a minha adolescência...
Ao levantar, gosto de me olhar ao espelho por vários minutos. Gosto de falar comigo. As minhas manhãs nunca são iguais. Há sempre um novo amanhecer, que se confunde com o anterior, mas que não deixa, por isso, de ser único.

3 comentários:

  1. É bom uma pessoa gostar de si próprio e da sua maneira de ser.

    ResponderEliminar
  2. Cada dia, cada manhã tem o seu perfume especial, a a sua essência única!
    Não és o único que dorme com um peluche todas as noites :P

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)