18 de junho de 2010

Renasce em Mim



Quem diria que eu iria me apaixonar por ti? Parecia tão pouco provável, como mais um daqueles sonhos alvos que despertam no doce sabor de cada madrugada. Mas assim foi. À primeira vista, ao primeiro olhar, à primeira troca de sorrisos. Uma luz forte que penetra e ilumina todos os nossos sentidos. A textura dessa sensação que nem a mais bela palavra do mundo consegue descrever. Uma vontade incontrolável de te ter, de sentir essa chama quente a inebriar todo o sentido que o mundo tinha para mim. Uma peça que faltava para preencher esse hiato que me guiava e me tomava como seu.
Quem diria que irias pertencer a mim, nem que tivesse sido por tão pouco tempo? Essa entrega total, quando a vontade toma as rédeas do medo, controlando-o até à exaustão. Fechaste os olhos e beijaste-me pela primeira vez, prenúncio do que viria depois. Mais do que o primeiro, seria como um último. Esse ímpeto mágico que te tomou e que te levou a amar-me sem medo, sem receio do amanhã. Consegui tocar na matéria dos sonhos com a tua mão, com o teu doce olhar. O tesouro mais precioso estava em nós e na nossa atitude de entrega. O teu toque de veludo em mim. Vimos a luz que nos guiou pelo caminho da mais pura inocência. Nada foi como dantes. Eu mudei, tu mudaste.
Porém, agradeço-te cada momento que vivi. A lembrança vagueia em mim como um ser perdido da sua fonte primitiva, não obstante, mantém-se cá dentro, qual prisioneiro do meu corpo, da minha alma que ainda clama pelo teu nome todos os dias.
Ainda acredito em ti.
Não pertences a lugar algum.
Volta, e renasce mais uma vez.

2 comentários:

  1. Acho que não a esqueces-te x)

    ResponderEliminar
  2. é mesmo para fazer lembrar a Xtina *.*

    embora não comente sempre, venho cá sempre ler os teus belos textos. parece-me que temos uma escrita muito parecida :')

    stay well.

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)