26 de julho de 2010

Erros Ortográficos

Se há coisa que me irrita são os erros ortográficos. Não consigo explicar. Só sei que me provocam náuseas. Errar é humano, isso é mais do que evidente, mas, por vezes, vejo tantos erros ortográficos num texto de apenas dez linhas que fico abismado. Como é possível? No meu entender, o domínio linguístico na língua materna é mais do que necessário: é obrigatório. É evidente que eu também erro. Já aconteceu algumas vezes e irá acontecer outras tantas. Porém, existem erros e erros. Alguns erros, como a confusão entre a terceira pessoa do singular do verbo «haver» () e a contracção do artigo definido «a» com a preposição «a» (à), são erros que, apesar de não serem admissíveis, são correntes. Existem muitos outros, mas este post não tem como objectivo enunciar erros ortográficos. Mas, já tenho lido erros que chegam a causar-me vómitos culturais. Desta vez, a pérola é do Diário de Notícias. Ora vejam:


«União Africana regeita Tribunal Penal Internacional em África

Diário de Notícias - Lisboa - ‎Há 5 horas‎
Os líderes dos países da União Africana, reunidos em cimeira, deverão rejeitar um pedido do Tribunal Penal Internacional (TPI) para a abertura de uma secção africana, quando diversos países africanos acusam o tribunal de ter uma agenda contra o ... »


«Regeita»? Trata-se de um neologismo ou estou profundamente desactualizado? Ah, já sei! É uma nova forma verbal. Humm, pouco provável... Será um caso de dupla grafia, contemplado no novíssimo Acordo Ortográfico de 1990? Também não.
É isso mesmo. Um erro ortográfico horrível, com gravidade acrescida tratando-se de um jornal. Que excelente jornalista, parabéns! E não há ninguém que submeta os textos a uma revisão linguística? Muitas perguntas que ficam sem respostas. Até a prima de dez anos escreve melhor!

4 comentários:

  1. Infelizmente isto é verdade...

    ResponderEliminar
  2. isto é triste , mas mais triste é ninguém ter reparado antes de mandar para impressão. mas há que ser condescendente, calma !

    ResponderEliminar
  3. És inadmissível que jornalistas, que lidam com a sua língua materna constantemente, dêem erros destes. Não há ninguém que dê uma revisão?

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)