29 de março de 2016

O meu primeiro beijo.


    Ao percorrer alguns blogues, soube que se iniciara uma breve sequência de textos referentes ao primeiro beijo. Não que seja partidário destas correntes, que não o sou; no entanto, reportaram-me a uma era de inocência pueril e de magia, que não podia deixar passar em vão.

     O meu primeiro beijo teve o romantismo expectável na adolescência. Ainda assim, tive direito a mão no pescoço, a afago na perna, a sorrisos e a um abraço. Deu-se num vão de escadas, no colégio, no final das aulas, numa tarde quente de Maio. Há muito que o desejo pairava sobre nós. Da minha parte, julgo ter havido o que vulgarmente designamos de amor; da outra, um misto de curiosidade e de notória excitação - quando digo notória, abarca as diversas acepções do termo.

    Beijámo-nos bem, sem choque entre dentes, sem saliva a mais. Anos e anos de beijos técnicos na televisão hão-de ter a sua utilidade. Um beijo sôfrego, prolongado, muito pouco estático, inquietado pelo barulho em redor e pelo receio de sermos observados.

   Haveríamos de o repetir noutras ocasiões. Até que nos afastámos, naturalmente. O momento ficou gravado nas minhas recordações. É raro socorrer-me dessas memórias, mas elas perdurarão indefinidamente.

18 comentários:

  1. São estas memórias que nos acompanham ao longo da nossa vida

    Grande abraço amigo Mark

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, e com tanto pormenor, mesmo já tendo passado alguns anos...

      um abraço, amigo.

      Eliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em boa verdade, sim, foi bonito. Momentos que só vivemos uma vez.

      Eliminar
  3. Boa noite
    Beijos, não sei quando aconteceu o primeiro.
    Houve namoradas que nunca beijei.
    Penso que o beijo é uma expressão de amor e que inicia uma relação mais próxima e mais íntima.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite, Luís.

      Acredito que o primeiro beijo não assuma particular relevo para algumas pessoas. No meu caso, não é que tenha ficado marcado pela vida, que não fiquei. Creio que o facto de o recordar deve-se mais a um acto involuntário da minha parte do que a uma experiência profundíssima.

      O beijo é um saudável ponto de partida. :)

      Eliminar
  4. Uma tentativa de dar-se e conhecer(-se) um ao outro.

    ResponderEliminar
  5. Romântico!!!
    Tenho pena que o meu primeiro não tenha sido nada disso.
    Tinha 23 anos e achei que era tempo de mudar. Assim, não foi desejado, romântico ou memoravel. Foi apenas mecânico, apenas o primeiro "check".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tinhas vinte e três anos quando beijaste pela primeira vez? Wow. Nada precoce. :)

      Eliminar
    2. A minha adolescência não foi além disto também. Tenho os pés assentes na terra.

      Eliminar
  6. Não vou voltar a falar do meu pois há uns tempos escrevi sobre ele, e ainda bem que guardas boas memórias pois fiquei com a sensação que nem todos tiveram bons primeiros beijos lol.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, deixa lá. Pode ser que os seguintes tenham sido bons, e que os vindouros também o sejam. x)

      Eliminar
  7. Existem coisas na vida que nos marcam de forma indelével ...

    Beijão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ... ou que não esquecemos. :)

      um grande abraço, amigo.

      Eliminar
  8. Meu primeiro beijo foi roubado, fui chantageado, obrigado. Poderia fazer valer a Lei Maria da Penha! Rs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Heheh, mas presumo que tenha sido uma boa experiência, pelo menos visto à distância. :)

      Eliminar

Um pouco da vossa magia... :)