29 de outubro de 2012

Ainda são cinco!


   Não me custou acompanhá-los até ao centro de cópias. Compreendo os seus motivos e vejo uma utilidade para quem comprar um manual original se torna inacessível.
   A mudança de hora perturba-me nos dias iniciais e, enquanto sinto o efeito, acredito que saio da faculdade às dez da noite. Como não me dou ao trabalho de ver as horas no visor do telemóvel, confio. Continuo a não querer nada com relógios de pulso.
   A sola das botas, novas, desliza como o faca no creme de barrar o pão. A pedra da calçada, húmida, favorece a minha propensão para perder o equilíbrio. Não acompanho o passo acelerado das pressas das 17 horas, síndrome de barcos que terão de apanhar e de comboios lotados. Tivesse juízo e teria ficado a pesquisar legislação para a pergunta da semana, na biblioteca das estantes de folha de pinho.


- Mais elementos jurisprudenciais!


   Sim, drª.

   Regressamos de noite e os braços reflectem a fragilidade física. A cabeça ressente-se do burburinho do caminho. Desejei, momentaneamente, ser forte e ágil. Houvesse curso que mo ensinasse e frequentá-lo-ia.
   Um sem-abrigo percorre o trilho acidentado que liga o jardim à avenida. Por entre os dedos, um cobertor que aquece a sua exclusão. Fala sozinho. Um dia chamaram-no de louco. Louco, como nós.

13 comentários:

  1. Eu entendo que você fique indignado com a pobreza que vai nesse mundo mas acredite, Mark, que se você morasse em SP teria que se acostumar ao fato de nossas sociedades serem injustas com os mais precisados. Eu já vi muito sem-teto nas ruas daqui e meu sentimento de impotência nem por isso diminuiu. Acredito que o efeito seja maior em um rapaz íntegro e sensível que nem você.

    Abraços!

    ResponderEliminar
  2. Custa-me tanto, às 17h já ser noite serrada :(

    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  3. Aqui onde moro tem o chamado horario de verão, onde os relógios são adiantados uma hora. Eu acho muito dificil adaptar, quando vejo, já é madrugada!!

    Abraço ^^

    ResponderEliminar
  4. A hora.

    Mudou! E se é mau acabar o dia já de noite, fica um pouco melhor de manhã (a continuar a hora antiga ainda não seria dia quando o trabalho chegasse).

    Os sem abrigo e a pobreza!

    Cada vez serão mais. Uns já conhecedores dos cantos para se resguardarem, outros ainda envergonhados - depois de uma vida de trabalho - são obrigados a deambular e qualquer dia estarão a disputar uns cartões para evitar que o frio os magoe mais.

    É a crise a tocar a cada vez mais pessoas.

    Um abraço carinhoso, Mark.

    ResponderEliminar
  5. apesar de tudo, gosto deste horário. um dos meus pequenos prazeres, quando saía das aulas ao fim da tarde, era subir a 5 de outubro. o lusco-fusco a cair devagarinho, as luzes da avenida, das viaturas, tudo me fascina ainda hoje a essa hora (mas sem chuva).
    há tantos, mas tantos sem-abrigo agora. nas galerias da baixa é vê-los, nos seus cobertores, papelões e a vida resumida a uns quantos sacos de plástico com os seus parcos haveres.
    viste a reportagem da sic 'o balneário'? foi premiada e centra-se no balneário público de alcântara, frequentado por muitos sem-abrigo.
    bjs.

    ResponderEliminar
  6. Aleatório ao olhos dos outros, é como eles se sentem.

    ResponderEliminar
  7. Ty: O Brasil, sendo maior, terá mais focos de pobreza. Contudo, aqui na Europa o nível médio de vida das pessoas degrada-se rapidamente. A mendicidade acompanha a deterioração da economia. :|


    Francisco: É estranho, no mínimo, sim. :|


    Joel: Aqui temos horário de Verão e horário de Inverno. :)


    Pedro: São os tristes sinais dos tempos, infelizmente. :|


    Margarida: Eu não aprecio muito este horário, embora goste da noite e das luzes da cidade, também sem chuva! :D
    Não vi a reportagem. O número de mendigos em Lisboa aumentou exponencialmente. Cada vez vejo mais.


    SadLullaby: Não diria melhor.



    abraços e bj :3

    ResponderEliminar
  8. Obrigado por teres passado pelo bar.
    Abraços :3

    ResponderEliminar
  9. R: Ora essa! Obrigado eu, por me ter servido a bebida tão atenciosamente (mesmo sendo um mero copo de sumo). :p


    ahah, abraço :3

    ResponderEliminar
  10. Fico-me pela referência aos sem abrigo, embora me custe esta mudança de hora outonal.
    O que mais me entristece é ver o aumento enorme de gente nova neste sub mundo dos sem abrigo. Há uns tempos atrás tal poderia significar pouca vontade de trabalhar e a dependência de vícios (álcool ou drogas); hoje são casos tristes de gente sem nada, muitas vezes com estudos e que devido à situação actual ou a motivos pessoais (divórcios, por exemplo), se encontram a viver na rua.
    Triste mundo em que vivemos...cada vez mais escuro,como os dias...

    ResponderEliminar
  11. João: Como disse um sociólogo de que não me recordo no momento do nome, são os "novos pobres", muitas vezes. Pessoas que tudo perderam devido à grave crise económica. :| O pior de tudo é que não se vislumbram dias nada animadores...


    abraço :3

    ResponderEliminar
  12. As mudanças de hora, no caso do horário de Inverno, costumam fazer-me confusão durante o primeiro dia.

    Costumo pensar: "ainda são x horas? Pensei que era mais tarde!" xD

    Quanto ao sem-abrigo...

    Infelizmente é uma realidade cada vez mais "comum" e cada vez mais brutal. Muita gente gastou mais do que devia e as consequências estão a surgir agora.

    Portugal é um país de "faz de conta". Existem muitas pessoas que compravam tudo e mais alguma coisa, só para se poderem "exibir" aos amigos ou aos vizinhos. Somos dos países da União Europeia com mais carros por família.

    A crise veio para ficar. No meu entender, as coisas ainda vão piorar consideravelmente. No entanto, também tenho esperança que as pessoas aprendam uma vaente e impostante lição com tudo isto, e a Sociedade em geral recupere alguns princípios que andam a ficar bastante esquecidos - o Respeito, a Humildade, a Gratidão...e por aí adiante.

    P.S. - Se voltares a ver o sem abrigo, leva-lhe algo para comer e dirige-lhe um dos teus lindos sorrisos. Ele ficará bastante feliz com o esse gesto tão nobre!

    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  13. Hórus: O deslumbramento com a entrada de Portugal na então CEE deu este resultado. A má aplicação dos fundos comunitários ajudou bastante... :| Também a ganância e a cobiça não ajudaram. Vivemos tempos em que mais vale parecer do que ser.

    Muito obrigado pelas tuas palavras. Um sorriso para ti: :)


    beijinho :*

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)