11 de agosto de 2012

Litoral.


 Ritual da praxe: verificar o estado do tempo para os próximos dias. Cumprido. Assim que vi os sóis debaixo dos dias correspondentes, senti uma pontinha de alegria mal dissimulada. Sou demasiado transparente para a alegria ou a desilusão.

 Levo sempre mais roupa do que a necessária. Aprendi com a mãe. Receio sujar-me a comer um gelado, ou ao deixar cair um pedaço de comida enquanto uma gargalhada repentina me é roubada com uma piada qualquer.
 Na auto-estrada tento contar os sobreiros que vejo pelo vidro. Chego à conclusão de que são centenas e que se afastam de mim, não tendo a percepção (ou não querendo) de que, de facto, sou eu que me afasto deles. A mãe olha pelo espelho retrovisor e ri. Encosto o joelho à porta do carro e fico estático a olhar a paisagem alentejana, ignorando por completo a música que ouvia pelos headphones. Ouviria mesmo? A potência do carro não conseguia acompanhar a velocidade dos meus pensamentos, que a esta altura se fixavam no destino. A roupa contraía-me os músculos e aumentava o calor que subia pelo meu corpo. A adrenalina de um destino imprevisto e novo aguçava as minhas expectativas. O facto de estar com a mãe, os dois, nuns dias de ameno convívio sem preocupações, muito era do meu agrado.

 "Onde está o mar? Já vês o mar?"

 A mãe fingia não ouvir as minhas perguntas. Saíam-me sem que pensasse. Difícil seria se ela o visse e eu não. Abri o vidro da janela para sentir alguma maresia. Nada. Tentei alcançar o máximo que os meus olhos podiam suportar e comecei a vislumbrar uma ténue linha azul, distante. Era, efectivamente, o mar.
 Chegámos ao hotel e agora a tarefa de me manter quieto revelava-se complicada de cumprir. Contive os ânimos e esperei pelo dia seguinte.
 Qual o motivo de tanta pressa? 
 Nos próximos dias o mar seria meu, para inveja dos barcos de pesca que atraíam as gaivotas para terra.

17 comentários:

  1. Vislumbro que irás ter umas boas férias :p

    ResponderEliminar
  2. É belo o entusiasmo que tens pelas pequenas coisas da vida :)

    ResponderEliminar
  3. sad eyes: Por enquanto já acabaram. Foram uns dias como o previsto. :/

    Anónimo, o selvagem: Sou um simplista. :)

    ResponderEliminar
  4. Ainda hoje me tinha lembrado de ti. Com a tua falta de posts, pensei logo que estavas nas tuas férias. Não me enganei ;)

    Agora resta saber tudo o que aconteceu... :P

    Grande abraço!

    ResponderEliminar
  5. Horatius: Férias pequeninas. :'/

    Abraço grande <3

    ResponderEliminar
  6. Espero que tenhas umas boas férias e que, pelo menos, descanses ao máximo. :)

    ResponderEliminar
  7. Espero que tenha aproveitado as férias.


    Abraços brasileiros.

    ResponderEliminar
  8. Citizen: Foi bom. :)

    abraços :3

    ResponderEliminar
  9. Francisco: Obrigado. :)

    abraço :3

    ResponderEliminar
  10. foram curtas as tuas férias à beira-mar.
    desfruta estes dias de Verão, passam a correr.
    bjs.

    ResponderEliminar
  11. Margarida: À beira-mar foram realmente curtas. :/ Infelizmente afazeres chamavam a mãe à cidade grande, para além de que férias em amigos nunca foi o meu forte.

    beijinhos :*

    ResponderEliminar
  12. mais uma vez obrigado pelas tuas observações no que escrevo. ainda para mais quando são inteligentes. :3

    ResponderEliminar
  13. Gonçalo: Awwwn, obrigado. :$

    ResponderEliminar
  14. Este relato foi mesmo querido!

    Consegui imaginar-te perfeitamente " Mark child version" a perguntar à mãe quanto faltava para chegarem à praia...simplesmente delicioso! ^w^

    Espero que estejas a gozar umas boas e merecidas férias! Bem mereces! :3

    Beijinhos :333

    ResponderEliminar
  15. Horus: Sim :) Eu sou meio crianção mesmo, ahah :$

    Sim, estão a ser um pouco monótonas, mas é melhor do que nada. :)

    Muito obrigado!!!


    beijinho :*

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)