15 de janeiro de 2012

Rain.

 Os dias de sol deram lugar à chuva.
 Quando saí de casa, com a mãe, dois pingos acordaram-me de vez. Despertaram-me de um sonho, sonhos que nem me são permitidos em época de exames. Lembraram-me, também, de que colocar o capuz do casaco na cabeça ou colocar-me por baixo do guarda-chuva da mãe não seria uma má ideia.
 Gosto da chuva. Da chuva simples, sem o vento que retira o norte ao nosso caminho. Gosto de observá-la pela janela e gosto de senti-la no chão, à medida que chapinho as botas por cada poça que vou encontrando pelo caminho. Uma ou outra vez, molho algum livro que leve nas mãos, por isso, descobri que colocá-lo junto ao corpo, se possível por baixo do casaco, é uma boa solução.
 Já no carro da mãe, em direção à casa da avó, baixei o assento do banco e olhei a estrada. Os vidros molhados parecem prismas ao refletirem as luzes do exterior. Na rádio, uma qualquer música dos anos 90 trouxe-me momentos de déjà vu. Era-me tão habitual memorizar o refrão de cada música, catalogando um momento da minha vida à sua melodia.
 Vi-me no cinzento claro das densas nuvens carregadas de água pronta a cair sobre o solo. Senti o sabor do inverno. Dentro de casa, o som da chuva esperava por mim, lá fora.


14 comentários:

  1. *.* escreve um livro por favor.
    A maneira como tu escreves.. é linda!
    Quem me dera ter metade do teu talento >.<

    beijinho*

    ResponderEliminar
  2. Cá tambem, tem chovido tanto, que acho que nem reconheço meu Brasil, mas hora ou outra agradeço a chuva, por lavar-me a alma.

    Beijos :*

    ResponderEliminar
  3. Adoro ver a chover, mas é quando estou na cama :)

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. fico muito feliz por saber, muito obrigada mesmo*
    seguindo :)

    ResponderEliminar
  5. ora essa, claro que tenho :) ai sim?(:
    obrigada mais uma vez :)

    ResponderEliminar
  6. é bom saber, ja que é isso que eu faço :)
    admiro poesia (nao propriamente a minha) mas também as vezes nada melhor que ler textos, sem rimas, sem expressões''exageradas'' mas vindas do coração, da alma*

    ResponderEliminar
  7. nem mais. em poucas palavras, foi tudo dito (:

    ResponderEliminar
  8. Lindo texto esse teu,tens um blog muito bom:).Bjs

    ResponderEliminar
  9. Nem todos os momentos da minha vida têm uma música, mas muitas músicas têm momentos da minha vida, e quando as ouço recordo-me da primeira vez, onde estava, como me sentia...

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)