15 de julho de 2011

Acompanhei Mais Um Sucesso Teu.


Ontem regressei à faculdade. Estranha sensação, esta, de me ver num estabelecimento de ensino em pleno verão. De fato e gravata ainda se torna mais complicado. Enfim, formalidades que me acompanharão para o resto da vida (que espero auspiciosa e longa). As formalidades no vestuário têm feito parte da minha vida desde sempre, uma vez que usei uniforme no colégio durante muitos anos. Só me libertei das calças de fato, das camisas e das gravatas quando fui para o ensino secundário.
Não fui à faculdade por mim; fui para acompanhar uma oral de recurso do R. Fui para assistir e para lhe dar algum apoio moral, mesmo que da parte da assistência. Acho-lhe uma graça quando o vejo de fato e gravata. O incómodo que a situação e todo o protocolo lhe causa chega a ser hilariante.
Passou toda a manhã a enviar-me sms porque certamente estaria muito nervoso. A sua oral foi de tarde, mas como ele vive fora da capital tem tendência a chegar mais cedo, não vá acontecer alguma coisa. Eu cheguei à faculdade uma hora antes da sua oral e fiquei completamente aterrorizado quando o vi com a gravata solta no colarinho da camisa, a camisa de fora das calças e os botões de cima abertos. Estava nervoso porque, apesar de já ter a passagem garantida, quantas mais cadeiras ficarem feitas, melhor. Quando faltava uma meia hora para a sua oral, fomos ao banheiro do piso em que nos encontrávamos e resolvi ajudá-lo. Ajudei-o a apertar de novo o nó da gravata, ajeitei-lhe a camisa depois de ele a colocar de novo por dentro das calças e ajudei-o a vestir o casaco. O fato fica-lhe incrivelmente bem. Assenta-lhe otimamente, até porque como ele tem uma tonalidade branca de pele, o preto, azul-escuro e cinzento sobressaem particularmente. No momento em que lhe apertei o nó da gravata, tive novamente aquele impulso para o beijar, mas achei que poderia dar mau resultado. Senti o cheiro do seu after-shave suave e do champô do seu cabelo, juntamente com o aroma imaculado da sua camisa branca que exalava um cheiro característico de roupa engomada. Se fechar os olhos, creio que ainda consigo sentir todas aquelas fragrâncias na minha memória. Dei-lhe um abraço e disse que tudo ia correr bem. Não me importei. Não foi um abraço à homem, foi um abraço mais demorado e apertado. Ele envolveu-me nos seus braços e quando passou a mão no meu cabelo, por trás, senti um arrepio na pele.
A oral correu-lhe bem. Eram apenas seis. Não foi aquele exame maravilhoso, mas quando acabou e antes da deliberação do júri, disse-lhe que sentia que pelo menos conseguiria o dez. E conseguiu. Ficou feliz, claro, mas também não dependia desta nota para transitar de ano.
Tínhamos uns planos para o resto da tarde, mas confessou-me que não dormira nada na noite anterior para estudar, ou seja, estava em pé num regime de quase direta. Eu, que não consigo, de todo, fazer diretas, fui o primeiro a concordar que o melhor era ele descansar.
Comemorámos com um sumo no bar da faculdade. :)

9 comentários:

  1. Fico contente que esteja todo a correr bem :)

    ResponderEliminar
  2. "No momento em que lhe apertei o nó da gravata, tive novamente aquele impulso para o beijar, mas achei que poderia dar mau resultado. Senti o cheiro do seu after-shave suave e do champô do seu cabelo, juntamente com o aroma imaculado da sua camisa branca que exalava um cheiro característico de roupa engomada. Se fechar os olhos, creio que ainda consigo sentir todas aquelas fragrâncias na minha memória. (...) Ele envolveu-me nos seus braços e quando passou a mão no meu cabelo, por trás, senti um arrepio na pele."- Lindo +.+ Juro-te que nunca conheci uma pessoa que me fizesse apaixonar-me pela sua escrita tão rápido.

    ResponderEliminar
  3. É engraçada a maneira como falas dele, dá mesmo para perceber que gostas dele...
    Ainda bem que correu tudo bem :D
    Bjs

    ResponderEliminar
  4. Que bom , que correu tudo bem!!!
    Agora ja estão de férias?

    ResponderEliminar
  5. Vais te arrepender de não Lutares por ele! quando percebemos isso já é tarde de mais! FORÇA!

    ResponderEliminar
  6. Sente-se o amor na tua descrição dele. Amei!

    ResponderEliminar
  7. A tua escrita, os teus momentos, as tuas descrições são magia!
    Abraço.

    ResponderEliminar
  8. Será que é adepto da máxima: "prazer adiado é prazer aumentado"?
    E não me refiro a sexo, refiro-me à definição dos sentimentos...

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)