23 de novembro de 2009

Crimes Passionais


Todas as semanas (se não todos os dias) surgem notícias alarmantes de mulheres assassinadas pelos seus namorados, companheiros e maridos. Em Portugal, os crimes de violência doméstica teimam em não descer e a verdade é que até têm tendência em subir. Apesar de evitar ao máximo ler esse tipo de notícias, já que me inquietam bastante, é inevitável que tenhamos conhecimento pela televisão, quer queiramos ou não. O último que tive conhecimento chocou-me bastante; a rapariga de nome Joana tinha 20 anos (praticamente da minha idade) e foi barbaramente assassinada pelo namorado, aquele que supostamente a deveria proteger e amparar. E como se não bastasse, depois de assassinada, foi-lhe colocado um saco de plástico na cabeça. Estes requintes de malvadez e premeditação tiraram-me o sono durante umas horas. O namorado tem 22 anos e foi capaz de cometer tão selvático e hediondo crime. Imagino o sofrimento que a mãe da Joana deve estar a sentir. Uma rapariga saudável, estudante universitária e com uma vida social activa e normal ser morta a sangue frio, sendo-lhe privado o direito de viver, de sonhar, enfim, de prosseguir o rumo normal da vida. Às vezes, penso, e se fosse com uma amiga minha, uma prima ou mesmo a minha irmã? Todas as mulheres podem ser potenciais alvos, e também cabe a nós, enquanto membros da sociedade, estarmos em alerta para situações de violência doméstica. Este tipo de crime foi tornado público, ou seja, qualquer um que tenha conhecimento pode e deve denunciar na autoridade competente mais próxima, pois logo todos os meios serão accionados. E também serve para os homens, que apesar de serem vítimas minoritárias neste tipo de crime, alguns são afectados. A APAV (Associação Portuguesa de Apoio à Vítima) tem feito um trabalho excelente neste campo, e é uma instituição a quem devemos e podemos pedir auxílio. Mas existem mais...
Todos somos potenciais vítimas, onde incluo, como é evidente, os crimes de ódio. Os crimes racistas, homofóbicos, religiosos, de género e todos que se incluam neste tipo.
É altura de acabar com o silêncio! Temos direito à felicidade e ao respeito!

3 comentários:

  1. Ahahah!
    Gosto de te ler (:
    Obrigado pelo seguimento ao meu blog :b

    ResponderEliminar
  2. LOL!
    Atum à Bráz é bom quando é bem confecionado.
    Mas por acaso, tenho uma mãe que é uma boa cozinheira, mas foi tudo feito na Bimby x)

    ResponderEliminar
  3. Aconteceu o mesmo à minha prima. Não morreu mas está no hospital com as 2 pernas partidas por ter saltado do 1º andar para fugir à pancada que o ex-namorado lhe estava a dar. Ela tem 25 e ele 22 anos. Uma tristeza!

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)