21 de outubro de 2013

Weekend.


   Não pudemos estar juntos no fim de semana passado. Encontrando-se em mudanças, não conseguiu um momento do dia em que estivesse disponível. Não mora na cidade, mas sim nos arredores, o que implica uma deslocação forçada à capital apenas para me ver. Compreendi os motivos. Tampouco poderia ser de outra forma.

   Nesta sexta-feira, marcámos uma visita à Estufa Fria para a manhã de domingo. Há anos-luz que não ia lá. Da última vez, se a memória não me atraiçoa, era bem criança e fui com os pais. Geralmente, nunca podiam estar comigo em lazer. Era isto, ou aquilo... Daí que guarde com cuidado os momentos de diversão. Diversão, sim, porque um petiz adora estar rodeado de plantas. Eu, certamente, gostei.


   Notei-o esquelético. A alimentação de refeitório começa a fazer das suas. Pese embora estivesse uma temperatura amena, envergava uma camisa vermelha, aos quadrados brancos, e um pull-over cinzento. Nos pés, os seus Merrell desportivos; sobre o corpo, um impermeável igualmente cinza. O casaco não lhe assenta bem. Fá-lo ainda mais magro (do que já é).
    Percorremos todo o perímetro da estufa. Não me recordava dos peixinhos, não tendo bem a percepção do tamanho. Parecera-me mais pequena.


     Trocámos mais impressões sobre a sua estadia na residência universitária. Falou-me do colega de quarto que tem apanhado bebedeiras quase diárias, das disciplinas que frequenta, da irascibilidade de alguns professores... Está entusiasmado com as cadeiras práticas, aquelas que implicam trabalhos nos campos. Falando-me de cada uma, achei interessante. Tem, segundo me disse, Horticultura, Fruticultura, Rega, Inimigos das Plantações (os insectos, pragas...), por aí. Contacta com a Natureza. Têm pouco para ler.

     Continua atencioso, no entanto, progressivamente distante. Evita todo e qualquer contacto, que também não evidencio querer. Demos um abraço fugaz, quase instantâneo, e meramente circunstancial. Algo desprovido de qualquer sentimento além de uma boa amizade. Tendo um amigo, o que quererei mais?


     Na noite anterior, estive no jantar que o João organizou. Não me alongarei nos motivos que o justificaram, algo que o João, quem de direito, fez - e bem - no seu espaço. Foi uma noite agradável, simpática. Demonstrou, uma vez mais, que o convívio que nasce na blogosfera pode, havendo vontade, passar para um real tangível. Revi pessoas que conheci no jantar anual realizado em Maio, conhecendo algumas. Parabéns ao anfitrião pela noite.

       Dormi poucas horas. O domingo começou cedo.

20 comentários:

  1. Distante, mas ainda presente :D

    Estabilidade, faz as pessoas engordarem... Pensa nisso ;)

    ehehehehheheh

    Abraço amigo Mark

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, continua solícito e a demonstrar carinho e disponibilidade. Eu tenho a certeza de que significo algo. Nas nossas primeiras conversas 'sérias', disse-me que não queria esgotar tudo rapidamente e que, avançando, perderíamos.

      Ai é? Interessante. Só tu. :)

      abraço, Francisco.

      Eliminar
  2. Assim são as coisas, Mark.
    Mutáveis.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade. E tão previsíveis...

      Eliminar
  3. um dia de cada vez. mesmo longe, estão no coração um do outro. depois, tudo se há-de resolver.
    bjs.

    ResponderEliminar
  4. Espero que tudo se resolva, merecem ser felizes, seja como for :)

    r: acho que tens razão, obrigado Mark.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só não queria que retrocedêssemos no que já alcançámos. Apenas a ideia me deixa triste.

      Obrigado, Kyle. :)

      Eliminar
  5. Noto aí uma pontinha de tristeza, mon cher Mark?

    "Para quê chorar se o sol já vai raiar?" :)

    Abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um pouquinho... mas hei-de conseguir acostumar-me à nova situação. :)

      Oh, obrigado.

      abraço :)

      Eliminar
  6. Ah que lindos os peixinhos :) Eu também senti essa tristeza em vc.. se ele continua saindo, te procurando, é porque sente algo mesmo que esse algo seja uma amizade. então não foi vc mesmo que falou que vcs são só amigos? ele pode querer manter a amizade e essa é a forma que ele arrumou. se vc acha que tá muito frio a relação de vcs, experimenta falar com ele, desabafar sobre o rumo de tudo isso!

    Abraços!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, lá está, foi o que eu disse. Eu sinto que significo algo. Ele tem pouco tempo disponível e, volta e meia, manda-me sms, emails, por vezes telefona-me. Mantemos um contacto. Todavia, sinto a falta do seu carinho mais expressivo, do toque, do afago...

      Desabafar está fora de questão. Não quero confrontá-lo com algo que claramente se vê que ele excluiu. Seria estranho da minha parte. Se ele quiser, pois bem, demonstre. Estarei receptivo.

      abraço, Ty.

      Eliminar
  7. Respostas
    1. Só para não te sentires discriminado na falta de resposta.

      Em todo o caso, obrigado pelo carinho na noite do jantar. :)

      Eliminar
  8. Esperemos que seja só uma fase de adaptação e que depois as coisas mudem. Mas a vida é mesmo assim, às vezes mostra-nos de forma cruel até, que as coisas nunca serão como as imaginámos, mas de outra forma bem diferente do que as desejámos. Espero que no vosso caso isso não aconteça e fico a torcer por vós.
    Abraço Mark.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Veremos onde vai dar...

      Obrigado, Arrakis, e um abraço. :)

      Eliminar
  9. Não fiques triste Mark! Tudo a seu tempo...

    Acredito isto será só uma fase passageira!

    Grande Abraço;-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São as concepções dele. Ele lá sabe...

      abraço grande e obrigado. :)

      Eliminar
  10. *abraço-te com carinho*

    Não te quero ver triste e o Vappy também não!

    *Vappy!*

    Ele está a viver num carrocel de emoções, são muitas mudanças a ocorrer ao mesmo tempo. E ele precisa de adaptar-se rapidamente a este novo ciclo, pelo que pode parecer à primeira vista ele aparente estar mais distante...mas no fundo está apenas a proteger-se e a proteger-te a ti também...

    Porque custa tanto no momento de dizer adeus... >...<

    Aproveitem sempre os momentos que estão juntos, ele é um bom amigo e faz-te bem ter um amigo assim. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes, concordo contigo e, à medida em que o tempo passa, apercebo-me dessa preocupação dele em resguardar o que já temos. Ele continua a demonstrar interesse em mim e na preservação da nossa amizade. Falamos todos os dias, nuns mais do que noutros, contudo, ainda assim mantemos um contacto 'próximo'.

      Não estamos juntos já vai para três semanas. Começaram as frequências para ele, tem de estudar, enfim, as obrigações a que estamos sujeitos. Espero que possamos conviver neste fim de semana. ^^

      Eliminar

Um pouco da vossa magia... :)