19 de novembro de 2017

Super Nintendo Classic Mini.


   No ano passado, sensivelmente por este mês, a Nintendo lançou a famosa consola Nintendo, de 1985, em formato mini. Recordo-me de que a quis, e de ter publicado isso numa das minhas redes sociais. A NES Classic foi uma das consolas que preencheram a minha infância. Passava horas a jogar, sobretudo os jogos do Super Mario. Bem assim, também os meus pais jogavam. À data, já era antiga. Os jogos, entretanto, eram dos mais apelativos. Não sei o que se terá passado, mas esqueci-me de a comprar. O Natal aproximou-se, com ele outras compras, e nem nunca mais me lembrei de passar por uma FNAC ou por uma Worten e de a comprar.

   Há um mês e pouco, a Nintendo manteve o propósito de continuar a pôr no mercado as suas consolas mais famosas. E se no ano passado lançaram a NES, este ano decidiram-se pelas Super NES, de 1990. Foi quanto bastou. O interesse despertou em mim e andei um ou dois dias completamente obcecado com a consola. Percorri quase todas as lojas. Esgotada. Importa dizer que o meu objectivo era o de encontrar a NES, não a SNES, que, em verdade, nunca me interessou. Passei pelo OLX e pelo Custo Justo. Consolas em segunda mão, para ser sincero, são um risco. Algumas até poderão estar novas, porque muitos compram-nas já com o intuito de as vender a preços exorbitantes. A Nintendo lançou uma edição limitada, que esgotou em poucos dias. Com tantas solicitações, ainda foi abastecendo as lojas até meados de Março do presente ano. É surpreende verificar em como uma consola retro movimenta milhões de pessoas. Um misto de nostalgia, de jogar com 8 bits, de voltar aos velhinhos comandos. Impulsionávamos o corpo para fazer o Mario saltar mais longe e mais alto!...

   Estes novos formatos, mini, trazem acoplados de entre 20 a 30 jogos. Ligam-se facilmente ao televisor e recuperam toda a magia das consolas originais. De tanto comentar o assunto com a minha mãe, e do quão triste me sentia ao constatar que a NES Classic Mini estava completamente esgotada, fi-la, em itálico porque nunca o imaginei, andar por meia Lisboa à procura de uma. Não a encontrou, mas trouxe-me uma SNES, também já esgotada, que encontrou numa superfície comercial da periferia. Não era exactamente o que queria, mas estou-lhe agradecido.

    Um amigo meu, estrangeiro, que por acaso até vem ao jantar de Natal, soube da minha saga em busca da NES e resolveu comprar-me uma no seu país, tendo-a adquirido em segunda mão através de um site, já que por lá também estão esgotadas. A moça que lha vendeu garante que só a comprou para a revender. Ligou-a e desligou-a. A julgar pelas fotos que o meu amigo me enviou, está novíssima. Vem com a embalagem original, com o plástico envolvente e traz até o manual de instruções. Já segue desde o seu país até Portugal. Devo recebê-la amanhã, segunda-feira, ou nos dias seguintes, pelo correio.

    Da minha parte, já montei a SNES, e estou encantado. Como ficarei quando a NES chegar! A Nintendo sabe fazer negócio. O transformador de energia não vem incluído. Lá tive eu de ir a uma Worten comprar um, da Nintendo, que transformadores até tenho. Receava de que não fossem os indicados. Já fica para NES. Dá para ambas.
    Deixo-vos a foto da SNES, captada assim que a minha mãe chegou a casa com ela.


6 comentários:

  1. Como dizia minha mãe: "Mais vale um gosto!"
    Nunca fui ligado aos jogos eletrônicos mas há quem goste e ande meio mundo para saciar o seu prazer. Você está certíssimo e eu, daqui, feliz com sua felicidade.

    Beijão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu joguei Nintendo e PlayStation, mas a Nintendo é um caso de amor antigo. :)

      Obrigado, amigo.

      um beijinho.

      Eliminar
  2. Que bom. Ainda bem que conseguiste. Eu quero é ver se lançam a Mini Nintendo 64 :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se lançarem essa, também a compro. É bem provável que o façam no próximo ano, digo eu. :)

      Eliminar

Um pouco da vossa magia... :)