10 de abril de 2013

Decepção.


    Ontem conheci pessoalmente um rapaz que é amigo de uma amiga em comum. Já falávamos há alguns dias mas ainda não tinha surgido a oportunidade de estarmos cara a cara. Entretanto, sendo amigo de uma amiga, trocámos contacto e fomos falando pela internet e por mensagens. Parecia-me um rapaz excelente, simpático, afável e solícito.

    Combinámos o encontro para depois das aulas, ou melhor, para depois das minhas aulas e antes das suas, uma vez que escolhera o horário nocturno. Assim, esperei-o perto da minha faculdade e, ao vê-lo, cumprimentámo-nos normalmente e fomos caminhando pela cidade universitária. Apercebi-me de que era imaturo e brincalhão, levando essas características como qualidades e não defeitos. Sentámo-nos por ali e ficámos a trocar ideias. Era difícil manter uma conversação séria, depressa sentindo uma espécie de água gelada descendo sobre a minha cabeça. Criei expectativas e até fisicamente posso dizer que me atraía. Passado algum tempo, insinua-se de forma sexual. Constatei que tinha chegado a um ponto sem retorno e que o melhor seria arranjar uma desculpa e sair dali. Como as insinuações não surtiram o menor efeito, propôs-me ter sexo com ele, perguntando-me se "tinha local" e "a que horas". Não, não estava a brincar.

      Senti um arrepio pelo corpo e uma vontade enorme de fugir. Era como se estivesse no meio de uma cena inóspita e irreal. Engoli em seco, pensei em segundos e disse-lhe que estava de boas intenções, nunca pensando em nada sexual. Disse-lhe mais: pedi para que apagasse o meu número e que não voltasse a procurar-me. Não fui ríspido. Falei calmamente, contudo, nunca tinha sido confrontado com uma situação semelhante.

      No caminho para casa, culpei-me a mim próprio. Fiquei triste, decepcionado. Não com o rapaz, comigo. Tenho uma visão demasiadamente romântica da vida e das pessoas. Pensei que poderia convidar-me para sair, para tomar um café, ir àquela exposição na Gulbenkian, sei lá! Quiçá roubar-me um beijo ou nada disso. Sermos amigos bastava. Não. Quis usar-me, levar-me para a cama como se eu fosse um pedaço de carne onde ele pudesse descarregar os seus impulsos.
    
       Não irei confrontar a nossa amiga em comum. Vou deixar as coisas como estão e passar uma borracha no episódio. Se aprendi algo? Aprendi. Aprendi a prevenir-me de futuro. Tenho ainda muito para crescer.

40 comentários:

  1. Uma das coisas mais desagradáveis na vida, é esperarmos algo com toda a nossa força e recebermos do outro lado algo completamente diferente.
    As pessoas passam a vida a desiludir-nos. Mas não é por esse motivo que deves mudar a tua perspectiva da vida!
    Se tua a vês de forma romanceada e realmente o desejas com alguém, não desistas!
    Felizmente o mundo ainda não se tornou todo num grande "copy & paste", e ainda existe gente que é fiel a esses princípios. Tens apenas de esperar pela pessoa certa, acredita :)
    Talvez tenhas de esperar, mas juro que vai valer a pena e ainda vais ser muito feliz!

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, sonhadora. Sabes, sinto-me deslocado. Parece-me tudo tão fugaz, sujo. Às vezes acho que acredito em coisas que não existem mais.

      beijinhos e, mais uma vez, obrigado.

      Eliminar
  2. Muito se poderia dizer a propósito de episódios assim.

    Não é a tua visão que está errada - cada pessoa tem a sua visão de vida, a sua verdade.

    O tal rapaz é que parece ser de facto bastante "imaturo e brincalhão".

    Como diz o ditado, "não é por morrer uma andorinha que se acaba a Primavera".

    Correu mal desta vez. Mas isso não quer dizer que vá ser assim sempre. ^^

    Hughie :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Senti-me um objecto. Aquilo foi mais do que imaturidade: foi querer usar-me, desprezando quaisquer sentimentos que eu pudesse ter, reduzindo-me a algo que se utiliza e se joga fora.

      abraço.

      Eliminar
  3. Mark
    o que se passou contigo e que aqui relatas é bastante comum, acredita e estás chocado, e compreendo-te por isso, apenas porque foste confrontado com uma situação deste tipo.
    Isto faz parte da tua aprendizagem da vida e se é bom e belo teremos uma concepção romântica das pessoas e das coisas, devemos lembrar-nos que esta vida é uma selva em que o predador está sempre à espera da presa, e não falo só do campo sexual, mas dos diferentes campos de vivências.
    Infelizmente não podemos abrir sempre o jogo frontalmente e expôr-nos demasiado, porque não sabemos o que está detrás da outra pessoa. Mas podemos, e tu soubeste fazê-lo muito bem, reagir frontalmente a uma tal situação.
    Não penses demasiado no assunto; foi apenas um importante passo na tua aprendizagem de vida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens toda a razão. Há um tanto de culpa aqui e ingenuidade. O mundo está transformado numa selva e temos de ser cautelosos. Mea culpa.

      Eliminar
    2. O +João Roque tudo disse.
      A culpa não é tua. Um dia, aos 20-21 anos fui também sexualmente aliciado por alguém mais velho, que pensava de mim gostar como filho. Senti-me nojento... E passei anos sem conseguir falar com ninguém a este respeito.
      Contudo, sinto-me na incumbência de te alertar para que a vida e as oportunidades passam num ápice. Comecei a ouvir esta expressão por volta dos 25 anos. Não acreditei. Refutei-a... Hoje, ainda que com medo de experimentar/tentar, sinto a verdade das palavras ditas.
      Força

      Eliminar
    3. Que horror! Aproveitou-se da tua ingenuidade. Isso ainda chega a ser pior porque, no meu caso, somos da mesma faixa etária.
      Sentimos o mesmo: sujidade, muita sujidade, mesmo não tendo qualquer culpa. Eu senti-me um objecto.

      abraço.

      Eliminar
  4. O João dá-te um bom conselho e uma boa análise das coisas. É, de facto, importante que aprendas e saibas - no real - a lidar com a variedade de intenções e de pessoas, e isso faz-se com experiência. Não te sintas usado, culpado ou ingénuo. Ninguém adivinha. Acontece. E também acontece haver pessoas extraordinárias no mundo, como nos contos românticos, mas os príncipes são necessariamente mais humanos e falíveis que nas histórias inventadas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade. Daí a minha visão romântica quando acredito que, algures, estará o meu príncipe encantado. Tenho de ter noção de que mesmo existindo não será certamente como nos contos de fadas.

      abraço, Alex.

      Eliminar
  5. Apesar de desagradável, não é de todo surpreendente. Como costumo dizer, mais tarde ou mais cedo ia-te sair um destes na rifa. Mas saíste-te muito bem, ficou a lição.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O pior de tudo é que criei expectativas em relação a ele e ainda o considerei interessante.

      Eliminar
  6. Caras idiotas há em qualquer parte. Um dia você encontrará alguém bacana.Para mim, você não tem culpa de nada. Ele que é um desgraçado duas-caras.Ele passou uma imagem que não foi condizente com a realidade. O azar é totalmente dele! Perdeu uma chance de ter algo superbacana com alguém como você. Ele é um idiota! Sempre veja as coisas pelo lado bom, ao menos você se livrou de uma. Ele não presta e só iria fazer você sofrer. Se eu fosse você falava assim pra ele: Tá vendo isso tudo aqui? tá vendo?! Esse monumento que papai e mamãe fez com tanto carinho e amor... Você não encosta um dedo!!! kkkkkkkkkkkkkkk Aceita que dói menos! Fui... kkkkk

    Boa sorte da próxima vez. Pensamento positivo,porque tem muito gente legal no mundo,Mark :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. LOL, só tu para me fazeres rir, Citizen! :)

      Obrigado pelas palavras. :)

      Eliminar
  7. Mark.
    Imagino como te sentiste.
    Quando esperamos mais de alguém e obtemos menos, quando esperamos que os outros tenham respeito pelos mesmos valores que nós e tal não acontece... chega a desilusão, a deceção.
    A vida é assim: cheia de contrariedades.
    Mas o que é preciso fazer é olhar em frente - não penses mais neste caso.
    Mereces o melhor e este não era certamente o melhor.
    Um abraço carinhoso, meu amigo.

    PS(1): para terminar e mudando de assunto, decepção foi mudado para deceção no novo acordo. É horrível este acordo.

    PS(2): se fosse eu o tal rapaz... convidava-te para um chá e antes de tentar roubar-te um beijo fazer-te-ia um afago nos cabelos. hehehe - brincadeira, Mark - só para te fazer sorrir :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este seria certamente o menos indicado...

      Quanto a "decepção", confesso que sorri. Sabes porquê? Já li o Acordo Ortográfico há uns 5 anos e cheguei a adoptá-lo no blogue. Por isso, não foi por descuido que não escrevi "deceção". ;) O facto é que não me habituei à nova ortografia e, uma vez que estou num blogue, mantive a tradicional. Em todo o caso, ainda estamos em período de transição. :P

      Hum, óptimo, gostei do chá e do afago. :)

      Eliminar
  8. É tão mau quando estas coisas acontecem. Não sei como existem pessoas que se dedicam apenas ao sexo com alguém sem dar algo mais. É por isso que nunca fui nesses caminhos, dou sempre algo mais que sexo, não sou capaz de dizer adeus após um momento de prazer e ir logo cumprimentar outro.
    É horrível quando temos expectativas sobre alguém e acontece exatamente o contrário.

    Mas tenho consciência que ainda existem pessoas românticas que dão mais valor ao amor e à amizade do que ao sexo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Encontrar pessoas assim começa a ser mais difícil do que "achar uma agulha num palheiro".

      Eliminar
  9. Bem Mark, digo-te o mesmo que dizia aos meus alunos aplicados (diferente de inteligentes) quando faziam disparates (e precisavam de ser motivados):

    "Acabas-te de descobrir uma excelente forma de como não deves fazer isso. Se já soubesses que isso não se faria assim, não estarias na escola como aluno, mas como professor!" (isto não é assim tão linear, eu sei!, os professores também erram!)

    Sei que esse não é assunto da escola tradicional. É da escola da vida, onde não existem professores. Levanta a cabeça e segue em frente ;)

    Grande Abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com a excepção de que eu não fiz nenhum disparate nem fui com segundas intenções. :) Pensei que poderia conhecer alguém interessante e fazer um novo amigo.

      abraço grande.

      Eliminar
  10. Mark, isto acontece muitas vezes, acredita. reagiste bem, apesar da decepção e da tristeza. foste maduro e não perdeste a calma, embora te tenhas sentido um pedaço de carne.
    ao aceitares encontrar-te com ele, foste imbuído de uma certa ingenuidade e romantismo que te caracteriza. mas tu és assim e não mudes, quando muito, aprendeste com este episódio.
    agora não leves à letra o dito 'gato escaldado de água fria tem medo.' de vez em quando arrisca, sempre com conta, peso e medida, claro. quem saberá se num próximo 'blind date' não encontres a pessoa perfeita? ;)
    bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, parece que é bem comum, sobretudo no meio gay.

      Ah, mas eu não mudei. Apenas fiquei mais cauteloso. ;)

      beijinhos.

      Eliminar
  11. não acho que tenhas sido ingénuo simplesmente tens uma maneira diferente e, a meu ver, mais correcta de ver a vida.
    mas nem toda a gente é assim, eu nem sempre fui assim também. existem alturas e alturas da vida, fases diferentes.
    eu não julgo o rapaz só acho que tem de crescer para conseguir um dia chegar a uma fase estável da vida.
    tu já pensas de maneira diferente e mais adulta até, no nosso mundo não são muitos os rapazes assim mas existem.
    é sem dúvida aborrecido mas antes isso do que mudares a tua maneira de ser.
    hug :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu imaginei cenários possíveis; nenhum deles se resumia àquilo que veio a acontecer. Enfim, é para crescer mais depressa. :)

      abraço.

      Eliminar
  12. Conhecendo-te como julgo, tentei imaginar a cena, Ai rapaz... nem sei o que escreva.

    Afinal ainda existe que se ache brincalhão e acabe por ser apenas parvalhão.

    It´s only the real word... unfortunately.

    ResponderEliminar
  13. O rapaz estava com pressa lol XD e quem tudo quer tudo perde. Acho que já tudo foi dito, mas acho que deves apenas dar uma importância relativa a isso, faz parte do teu amadurecimento. Mas não percas o teu romantismo e os teus ideais porque tal como há idiotas chapados, à outros que são verdadeiros príncipes. Há que descobrir o trigo no meio do joio.
    Abraço Mark.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se continuo a acreditar que o meu príncipe encantado andará por aí... Eu bem quero, mas torna-se difícil. Nunca idealizei alguém perfeito; simplesmente que gostasse de mim. Neste caso, fui sem expectativas. Uma boa amizade seria magnífico. O que não esperei foi uma proposta indecente. Senti-me sujo.

      abraço, Arrakis.

      Eliminar
  14. Os conselhos sábios dos amigos João e Arrakis dizem muito.
    A história talvez te tenha surpreendido mais a ti que aos que a leram.
    Penso é que não deves associar logo esta atitude ao mundo gay, porque há muita gente por aí que procura o mesmo tu; bem mais do que imaginas.
    É bem verdade que as aparências iludem muitas vezes, e o importante é estarmos preparados para isso; mas sinceramente espero que da próxima vez acabes por ser agradavelmente surpreendido, porque isso também acontece :)
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu fiquei realmente surpreendido, talvez porque vocês tenham outra experiência de vida que eu ainda não tenho. Como disse acima, uma mera amizade era quanto bastasse. O "convite sexual" é que achei horrível.

      abraço. :)

      Eliminar
  15. Bom poderia dizer-te que 80% dos solteiros não pensam nisso, mas estarei a mentir. Não fiques decepcionado contigo, porque não tem nada a ver. Apenas não procuravam a mesma coisa e como tal, fizeste bem em despedir-te cordialmente e pedir para não te contactar porque não estavas interessado (ele deve ter ficado sem chão, porque normalmente as pessoas não são tão directas). Agora é seguir em frente, os homens são como o peixe. Há muito no mal para ser pescado e de qualidades diferentes. Basta teres o coração aberto e estar na "desportiva" e ficarás surpreendido com as surpresas que a vida te trará.

    Outra coisa: ser brincalhão não me parece defeito :P ah ah ah LOL

    Abração miúdo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei da comparação com o peixe. :D

      Ser brincalhão é uma virtude. :P

      abraço grande.

      Eliminar
  16. Bem, é de facto triste, mas infelizmente o que mais não falta é rapazes assim... surpreende-me é como é que o conheceste antes de mim, isso sim... anda aqui uma pessoa a pedir à milhões de anos... lol XD

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez por ser amigo dessa minha amiga... e, olha, bem arrependido estou! :x

      Ahah, Miguelito. :D

      abraço.

      Eliminar
    2. Comigo não te arrependes, tenho seguro de responsabilidade civil lol =P

      Além de que sou bom rapaz, portanto situações do "bora dar uma" e coisas do género, não fazem nada o meu estilo... sou mais de deixar as coisas acontecerem, sem stress, sem pressões... =)
      Vê lá se me dás uma oportunidade (estou a falar a sério)...

      Abraço

      Eliminar
    3. Não me fales em responsabilidade civil! LOOOL

      "(...) deixar as coisas acontecerem, sem stress, sem pressões..." És demais!! LOL

      Miguel, tu és um engatatão. :P

      abraço.

      Eliminar

Um pouco da vossa magia... :)