1 de julho de 2016

July.


   A estação quente começou há dias, embora as ausências já se façam sentir. Ainda não há quaisquer planos de férias. Os dias desenrolam-se na mais sufocante monotonia. Pelo país, fala-se no Euro 2016. Enquanto Portugal mantiver a sua presença na competição, não se alimente a esperança de que as pessoas acordem para outra realidade. Volta e meia, algum louco lembra-se de provocar um atentado ou de proferir alguns disparates, afastando-nos do chorrilho de notícias sobre o Campeonato da Europa.

   Eu gosto de futebol, acompanho estes torneios; compreendo ainda que o fenómeno não é exclusivo do nosso país. Países tidos como mais civilizados, como a Dinamarca, a Suécia, os Países Baixos, vibram igualmente com os sucessos e os desaires dos seus clubes e das suas selecções. Salvo a salutar excepção de algumas das ex-possessões do Reino Unido, o futebol será o desporto com o maior número de adeptos em todo o mundo. Da América do Sul à distante Ásia, todos sofrem, riem, choram. É naquelas quatro linhas que têm lugar as novas guerras entre as potências; no caso em concreto, as europeias. Os hinos são entoados, os cachecóis e as bandeiras são prontamente empunhados. Há quem lhe chame patriotismo; há quem tenha reservas em aplicá-lo a estes contextos. Da minha parte, julgo que o patriotismo pode assumir diversas facetas. Não deixará de ser patriotismo acompanhar a equipa do seu país, procurar estar a par do seu percurso numa modalidade que está sedimentada no imaginário colectivo nacional. É o futebol que anima as pessoas, e isso tão-pouco é censurável.

   Sabemos em como o Verão é profícuo em fait divers. Eles aí estarão, quando não houver D. Dolores a assistir aos jogos disputados pelo seu filho ou microfones a serem arremessados aos lagos. Conteúdos continuarão a surgir. As publicações mantêm o seu ritmo. E, naturalmente, é nesses períodos em que as editoras são azo aos truques mais rasteiros. Aguardemos pelo seu bom senso. Estou a ser francamente optimista.

8 comentários:

  1. Penso que sou o único brasileiro que não curte tal esporte. Para dizer a verdade, esporte nenhum. Aqui estou a ter que aguentar o falatório das tais Olimpíadas. Para mim, este evento por aqui será uma "olimPIADA"!

    Beijão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Jogos Olímpicos remontam à Grécia Antiga. São uma bela tradição que recuperámos.

      Um abração.

      Eliminar
  2. Curioso em ver quem irá ganhar o europeu :)

    Abraço amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alemanha, Itália ou França. São os meus palpites. :)

      Abraço.

      Eliminar
  3. Quero os jogos olímpicos e ver se consigo ver alguma coisa por causa do fuso horário.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gostaria de acompanhar.

      (peço desculpa por responder com tantos dias de atraso, mas passou-se-me completamente!)

      Eliminar
  4. Agora estamos reduzidos a duas possibilidades: Portugal ou França! ^^

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)