19 de junho de 2015

Dias.


       A silly season está prestes a irromper pelo país. Pelas plataformas virtuais já é bem evidente. O que se quer são sumos frescos, tardes à esplanada, leituras sob uma qualquer sombra. Os anúncios de Verão não tardam. As mesmas histórias de hóteis lotados, incêndios florestais, adolescentes levados nos leitos dos rios ou na força das ondas. As contratações dos clubes, a dança de treinadores, os novos plantéis. Os programas da tarde, enfadonhos, nas praias. E vem, de seguida, a Volta a Portugal, mais as novas grelhas televisivas a marcar o fim da estação quente.

       Ando em período de avaliações. Dias e dias na faculdade, livros daqui, apontamentos dali. Trabalhos a entregar. É costumeiro para a época. Não me surpreende.

     Tenho passeado bastante, bem mais do que em anos anteriores. Passo menos tempo a estudar, ou mesmo em casa, divagando por aqui e ali. Não raras vezes vou à Padaria Portuguesa, na Avenida João XXI, sentando-me a beber algo fresco. Volta e meia, uma fatia de bolo, um café pontual, cheio, como vem sendo hábito, embora tenha reduzido o consumo desse estimulante. 
        
         Estou na fase de transição para adulto a tempo inteiro. Tenho enviado o meu currículo. A média final de licenciatura é um ponto forte a meu favor, mas já se sabe como o mercado de trabalho gira em torno de uma lógica feroz. Quero, efectivamente, emancipar-me. Ter o meu próprio espaço, gerir os rendimentos obtidos. E estou em boa idade para o primeiro emprego, a meio de uma pós-graduação em especialidade, o que faz pender na hora da decisão. Sou exigente, assumo. Não procuro ser advogado ou professor, reduzindo-se as saídas profissionais. Digamos que o que me motiva é entrar no mundo laboral, não me preocupando, por ora, com a função ou cargo a desempenhar; exijo, apenas, que se enquadre nas áreas que domino e que faça justiça ao meu percurso estudantil.

       A blogo ressente-se. Uns que vão, outros que surgem com novos espaços. Não será assim na vida? Não espelhará a blogosfera o que se passa lá fora? Quer-me parecer que sim. 
        E que venham os temas leves, polvilhados, um nadinha, com assuntos de âmbito mais formal.

Este bolo é delicioso, embora prefira o de bolacha. Chocolate, meh!

18 comentários:

  1. Resta desejar-te boa sorte nessa incursão pela vida laboral que não é fácil, nem tão divertida como a faculdade, mas onde aprendes muito mais. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado, Sam. :) Quero muito!

      Eliminar
  2. Que delícia esse bolo! Posso pegar um pedaço? rsrs :D Pois é, né.. Quase verão aí. Aqui quase inverno. E olha que em alguns Estados vai ser um inverno bem duro. Tem cidades que a temperatura quase chega no zero.
    Boa sorte na procura de emprego. Com certeza que vai arrumar logo um bom emprego. Tá na cara. :)

    Abraços!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sirva-se, Ty. :)

      Pois, pelo calor que se faz sentir, eu diria que aqui vamos ter um Verão bem quente. Hoje, o termómetro passou os trinta e muitos graus em Lisboa.

      Obrigado. :D

      um abraço.

      Eliminar
  3. A aventura da vida vai-se repetindo de ano para ano, os que chegam, outros que partem. Os atores que parecem ser os mesmos, mas ao longo do tempo perdem protagonismo, e logo vem outros camuflados dos mesmo ideais. Da juventude para o estado adulto, muito chão para debastar, muita aventura e desventura, ambições e sonhos que apetece realizar. Mas até à verdadeira realidade da vida que cada um vai gerindo conforme as oportunidades, constitui sempre um enigma. Cada dia, apetece... ser diferente, ser útil, acabar com as bestas quadradas do universo, mas por vezes sem eles parece que o mundo para alguns não faz sentido, de tão habituados que estão a não pensarem, e terem quem lhes faça a "papinha". Ir à luta e adquirir a sua independência parece constituir uma miragem de maioria. Para ti pode ser que a miragem não exista, e que na realidade te consigas afirmar naquilo em que despendeste energia e que estás pronto a fazer. Esperemos que assim seja. (Amém).
    :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como na vida, bem dizes, uns vão e outros vêm. Quanto à blogo, alguns que vão deixam saudades. Cada pessoa é única e não há dois estilos iguais. Creio que se perde; em contrapartida, e para amenizar, ganha-se com a energia de quem chega.

      É curioso, mas nunca senti essa necessidade de mudar o mundo como a maioria dos jovens tem. A garra, a audácia. Sempre fui muito inerte. Começo agora a querer mudar o meu mundinho.

      Fui mimado (ainda sou um pouco...) e não tenho reserva alguma em dizer que sou dos que tem a "papinha" feita; quero, no entanto, fazer por mim e pela vida. Cresci. Sou um homem. :)

      Obrigado, Eduardo. :)

      Eliminar
  4. Sou serious season o ano inteiro.

    ResponderEliminar
  5. Realmente o bolo tem bom aspecto. E que corra tudo bem nesta nova fase da tua vida.

    Mark por estar aqui há já algum tempo também noto o fim de alguns blogues e o surgimento de outros, talvez esteja aqui a mais, pois cada vez mais sinto que há uma onda que leva e que trás e nunca fui levado por ela.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A nova fase ainda está por chegar, amigo No Limite. Por enquanto tento fazer com que chegue. :)

      Não me sinto nada a mais, e creio que deves afastar esses pensamentos. Todos têm um contributo a dar. Durante dois anos andei para aqui a escrever para mim. Ter (ou manter...) um blogue é uma decisão inteiramente pessoal, gostem ou não, que independe de terceiros. Eu continuaria, nem que fosse para escrever para mim, como já fiz, de resto.

      Eliminar
  6. Eu adoro um bom e húmido bolo de chocolate (quase parece uma descrição erótica).
    Quanto à silly season, o pior são as noticias inevitáveis do Passos na comporta, dos livros que o Marcelo leva de férias, etc, etc, etc. Who fucking cares????
    Mais a sério, lembro-me muito bem de como queria entrar no mercado laboral. Não porque não tenha gostado da vida de estudante mas porque queria atingir outros objectivos para os quais precisava de me emancipar financeiramente. Os meus pais não são ricos e sei que pagar os meus estudos foi um grande esforço... para outras coisas, teria que ser eu a ganhar o meu próprio dinheiro. Felizmente, a vida correu-me suficientemente bem. Desejo-te toda a sorte do mundo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que não vejo televisão. Fujo a essas frivolidades do Passos e dos livros do Professor (pessoa que muito admiro e conheço, atenção). :)

      Exacto. Eu pretendo emancipar-me para ter a minha independência financeira, ainda que não seja total de início, mas começando desde já a prepará-la. É importante dar esse passo, e está na hora.

      Muito obrigado, Goody. :)

      Eliminar
  7. estive 3 dias em formação sobre C.P.A. (acabei há pouco). foi dada por 2 profs (jovens) da tua fac. daqui a uns tempos estou a ver-te por aqui :) muito interessante a discussão entre a escola de Coimbra e a escola de Lisboa :)
    bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Código do Procedimento Administrativo, o novo. Sim, sim. :)

      Há muitos assistentes jovens, é verdade. Oh, tivesse eu vocação para o ensino.

      As escolas de Coimbra e de Lisboa são velhas rivais, e muito divergem entre si.

      um beijinho.

      Eliminar
  8. A tua vida de ócio parece-me tãooo bem! lol É verdade, vejo que a blogo anda mais mortinha, mas como tudo na vida, são apenas fases :) Mark'zinho, esejo-te muita sorte nesta busca de um trabalho digno que te satisfaça :) Abração

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um ócio que me engordará. É que tenho repetido e repetido, não só os cafés como as fatias de bolo, ora de brigadeiro, ora de bolo de bolacha ou de folhado. x)

      Muito obrigado, Namorado. És um amor de rapaz.

      um abraço enorme!

      Eliminar
  9. Olha, Mark, a vida tem para nós outro valor quando é ganha. E se for ganha a fazer o que se gosta e satisfaça tanto melhor. Vais ser huuuge no mundo do Direito. Votos de um excelente começo na vida laboral :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aleeeeex, muito obrigado, amigo. Não sei se serei "grande" em Direito; espero ser grande em algo que me satisfaça e que me dê dinheiro (I know, I know, não é costume, num país católico, ser tão directo no que diz respeito ao vil metal, mas é verdade, tenho de ser realista). :)

      Eliminar

Um pouco da vossa magia... :)