26 de maio de 2015

Museus.

       
      Tal qual acordado, no domingo decidimos ir ao Museu dos Coches, depois de definitivamente ter assentido na ideia. À chegada, a fila para os bilhetes assustou-nos um pouco. Estariam mais de trezentas pessoas, número mais do que suficiente para dar a volta a todo o edifício, contornando-o e ainda sobrando espaço para uma franja significativa de pessoas. Perante aquele aparato, aconselhou-me a desistir. Contudo, uma tarde tão convidativa, sob uma luz quente, convenceu-me a insistir e a colocar-me pacientemente atrás de toda aquela gente. Decisão sensata. Rapidamente a fila foi diminuindo, à medida em que iam entrando, não chegando a estar por ali mais de meia hora.

          Levantámos os bilhetes, dois, e lá entrámos. Estava excitadíssimo. Para quem é um amante confesso de História, estar tão próximo daquelas carruagens é como recuar no tempo. Saber que monarcas que tanto venero foram transportados naqueles coches, saber que alguns deles levaram D. João V e o seu primogénito, D. José, até aos seus devaneios amorosos, saber que num deles ocorreu a fatalidade que mudaria a história do país, fascina-me.

       O espólio de carruagens é imenso. Tirei mais de duas dezenas de fotos, sem flash, evidentemente, muito embora tenha visto cidadãos indiferentes, de máquina na mão, disparando à vontade e com isso provocando danos, alguns irreparáveis, num património que é de todos. Houve desordem, e os funcionários não conseguiram, claramente, estar com o olho em cima daquela multidão. 
       O museu não está completamente organizado, pode ser;  falta a parte interactiva, é provável; os coches não estão, na sua maioria, devidamente assinalados quanto à data e respectivo contexto histórico, sim. Valeu a pena de qualquer modo. Os coches são aqueles, a visita foi gratuita, não invalidando que não passe por lá um dia destes. Até porque tenciono fazê-lo.                                                                                                 
                                                                                                                                                                   
O coche da visita de Filipe II a Portugal.
O meu favorito - o coche de D. João V. 
Este "modelito" do século XIX também é giro. :)
O coche em que D. Carlos foi assassinado, no Terreiro do Paço, em 1908.

        E há muitos, muitos mais. Estas são apenas algumas das carruagens que encontrarão no novo espaço que alberga estas maravilhas.
        Saímos do Museu dos Coches ainda o Sol raiava. Aproveitando, e uma vez que também não conhecia, fomos ao Museu da Electricidade, logo ali. Mesmo não estando tão entusiasmado, gostei sobremaneira. Tomei conhecimento de detalhes que nem me ocorriam. Entrámos dentro de caldeiras, inteirámo-nos do processo de geração da electricidade. Nem o cheiro característico a carvão foi esquecido. Também gostei da parte didáctica, dos aparelhos que nos mostravam a electricidade em si - um dos quais permite-nos senti-la. Nunca vi tanto circuito eléctrico junto.

A vista de baixo para cima é impressionante!
Literalmente "no meio" das caldeiras!

Não esqueceram os mínimos detalhes. Cheira a carvão. Até os olhos se ressentem!
Colocamos a mão na bola e a electricidade segue o nosso movimento.
            
      Foi um início de semana excelente. Recomendo qualquer um dos museus que visitei, ambos com temáticas distintas. Em razão de estarem perto, quem for a um aproveita e dá uma passadinha no outro. Neste fim-de-semana, estou a pensar em visitar o Panteão Nacional, um dos monumentos que cobiço há anos. Veremos.

23 comentários:

  1. Visitei o Museu dos Coches há muito tempo e claro que gostei muito. Penso que este novo espaço, embora amplo, não será o ideal para este tipo de museu.
    Curiosamente, nunca visitei o Museu da Electricidade, embora já la tenha ido, a ver uma exposição de fotos, há uns tempos atrás - confesso não ser um museu que muito me motive.
    O Panteão é grandioso e vale a visita. Se pensas visitá-lo neste fim de semana, aconselho-te a ires no domingo, já que há um concerto que penso seja muito interessante nesse dia pelas 16,00 horas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É moderno demais, também achei. Mas é amplo. E tem umas varandas panorâmicas no primeiro andar.

      O Museu da Electricidade é interessante, mas também não é o que mais me encanta. Convém conhecer. :)

      Obrigado pela sugestão, João. Sim, estou muito curioso quanto ao Panteão e quero ver se o visito neste fim-de-semana.

      abraço.

      Eliminar
  2. Ainda não conheço o novo Museu dos Coches, ainda tenho na memória as infinitas obras e discussões relativas a este novo espaço. Pelas fotos, parece ser interessante, mas quando for a Lisboa visito e logo opino! Em relação ao Panteão Nacional, já visitei e aconselho vivamente! :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os coches são interessantes. O espaço é um tanto ou quanto moderno. Tens de visitar. :)

      Sim, estou extremamente curioso.

      Eliminar
  3. Não conheço o espaço anterior, tampouco o actual mas acho que realmente, o espaço anterior, seria mais contextualizado com os coches, não?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Recordo-me mal do espaço anterior. Estive lá há muitos anos, era uma criança. Mas creio que sim. Este espaço, por enquanto, está muito "despido", digamos assim. É muito amplo, os coches estão destacados, tem um piso superior com "varandas" sobre os átrios de baixo, enfim, prematuro dizer mais. Um amigo disse-me que irá ter uma parte interactiva (não me informei mais sobre isso). No fim de tudo, talvez fique bastante bom.

      Eliminar
  4. Tenho muita vontade de conhecer o Museu dos Coches, assim como mais algumas coisas ali em Belém.
    (estou a ver que andas com uns românticos programas de domingo :D)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Belém é uma delícia.

      Oh, romântico! x)

      Eliminar
  5. Um imenso armazém, inacabado é certo, onde haverá leitores digitais e afins junto aos coches, mas estes mereciam outra dignidade que neste espaço, por mais prémio ptritzker que seja, não têm...

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pensando bem, está mais para armazém... Bom, desde que os coches estejam bem estimados e cuidados, mal o menos.

      um abraço. :)

      Eliminar
  6. Muito fixe as fotos e o passeio :)

    Grande abraço amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, uma tarde maravilhosa!

      um abraço grande, Francisco. :)

      Eliminar
  7. Nossa, o museu dos coches parece ser muito legal! como estudante de história eu ia curtir muito,com ceteza! abs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, é. Um dia que venha a Portugal visita o museu. :) Sou jurista, mas História sempre será a minha paixão.

      um abraço!

      Eliminar
  8. irei a este novo museu com calma, longe das montanhas de visitantes. prefiro caminhar e observar tudo com calma. mas não sei quando. ainda está inacabado. e esta polémica toda à sua volta não me agradou nada.
    eu não sou adepta deste estilo de espaços, super-modernos e inóspitos, mas para realçar os objectos suponho que deve ser o mais adequado. não sou perita em arquitectura.
    já visitei o museu da electricidade e gostei. é muito didáctico para a pequenada e tem exposições temporárias interessantes.
    o panteão também conheço e tive direito a uma visita guiada. vai ao terraço, se puderes, a vista é linda. :)
    bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O espaço é amplo. Mesmo com "montanhas" de pessoas, deu para ver tudo. Até prescindo da parte interactiva. Só senti falta das informações relativas a cada coche. Apenas alguns estavam devidamente assinalados.
      É meio moderninho demais, como referi, mas cada coche fica bem destacado. E ainda desconhecemos o resultado final.

      O Museu da Electricidade é interessante e tem essa preocupação didáctica.

      Também quero ir ao Panteão dos Bragança. Suscitaram-me a dúvida. Parece inacreditável que nunca tenha visitado o panteão onde repousam os meus monarcas preferidos. :)
      Obrigado pela sugestão, Margarida

      um beijinho.

      Eliminar
  9. Uma vez estava assistindo a um vídeo de turismo em Portugal e vi o Museu dos Coches, realmente para muito interessante! Quando for aí vou ter que visitar! : p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Visite, sim. :) Decerto vai gostar.

      um abraço.

      Eliminar
  10. Não sei quando é que irei ao Museu dos Coches, ir a Lisboa é tão raro que ir lá e ir logo a esse museu tem uma probabilidade muito baixa.

    Das imagens que colocaste o que mais gostei foi coche de D. João V porque faz parte do meu imaginário de coches, mas há uma grande panóplia deles.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, e os bilhetes para o museu também não são nada acessíveis, ao que consta.

      Tirei dezenas de fotos. Escolhi apenas algumas (não quis sobrecarregar o texto com fotos, embora, e faria sentido neste post, as fotografias "falassem" mais do que qualquer palavra).
      Há duas alas no museu. Os que mais gosto são os mais antigos, sim. :) São muitos mesmo. Não pensei que tivéssemos tantos!...

      Eliminar
  11. A ver se vou até lá agora em Julho... mas queria ver tudo montado como deve de ser.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já deve estar tudo conforme. Não sei mesmo. Bom, vais ver os mesmos coches que eu vi. :D

      Eliminar

Um pouco da vossa magia... :)