1 de março de 2014

Terror.


   Gosto de filmes de terror. Dos clássicos, preferencialmente. Os filmes de terror das últimas décadas perderam uma parte do segredo do seu sucesso. Nem sempre a tecnologia surge para ajudar. Os efeitos em demasia originam filmes histriónicos, claramente desprovidos de qualquer realidade. E, para mim, mesmo o género terror  tem de ter, necessariamente, um pouco de realidade ou de obscurantismo. Nada que envolva monstros ou similares me assusta. Se tiver a certeza de que se trata de algo puramente imaginado, perco a excitação.

    Dois desses filmes são dos meus favoritos. Carrie (1976), do Brian de Palma, e, claro, O Exorcista (1973), de William Friedkin. No que diz respeito ao primeiro, confesso que me entristece mais do que assusta. Em boa verdade, não assusta. Trata do bullying, um fenómeno que, acredito, na altura era desconhecido. A miúda, numa interpretação magnífica da Sissy Spacek, tem poderes de telecinese, o que lhe permite mover objectos e provocar catástrofes... A sua mãe, uma louca religiosa, é encarnada por Piper Laurie de forma sublime. Ambas foram indicadas ao Oscar.

  O Exorcista, sim, já me amedronta. Envolve uma área praticamente desconhecida por todos, sem demonstrações científicas da sua existência ou inexistência. A par de Carrie, vi-o também muito novinho, fugindo ao controlo parental, e nas duas situações tive dificuldade em adormecer. Há aspectos rudimentares, como a cena em que Regan gira a cabeça nuns incríveis 360º graus. É perceptível de que se trata de uma boneca. Hoje, provavelmente, fariam em computador e tudo pareceria mais credível. Mas até essa aura mística torna o filme irresistível. É assim que ele é bom e perturbador. Ninguém fica indiferente ao rosto de Regan possuída pelo demónio Pazuzu. Da primeira vez, tinha catorze anos. Soube que iria passar na televisão, na RTP1, creio, consegui manter-me acordado e lá liguei a tv do quarto. Impressionou-me muito. Não é aconselhável a menores de dezasseis. Falo por experiência. Se ainda sou imaturo, à época fiquei aterrorizado e, por dias, aquela figura sinistra não saía da minha memória.

   Ontem, correndo a programação dos canais TvCine, soube que iria ser transmitida a sequela, O Exorcista II - O Herege (1977). Já havia lido, e ouvido, que era mau. Aguçou mais a minha curiosidade.
    Por favor, não vejam. É horrível! O enredo é péssimo! Não é à toa que está considerado um dos piores filmes de todos os tempos. Fiquei assustado, sim, de facto, com a qualidade. A Linda Blair saiu-se tão mal. Se eu sou contra as continuações, até em filmes infantis, defendo que nestes casos são evitáveis a todo o custo. É difícil repetir-se as fórmulas do êxito. É aquilo e não mais. O realizador, posteriormente, alegou que também era pai e não queria mais torturar uma criança, o que é visível n'O Exorcista, além de que quis enfatizar o bem e não o mal. Disse que o seu pecado foi não ter dado ao público o que ele queria: terror, medo, muito medo. Pois, se calhar foi. Melhor faria se o riscasse do seu currículo. Em filmes do tipo, as pessoas querem ficar assustadas, numa espécie de masoquismo. Querem olhar para trás enquanto se dirigem ao quarto, querem ficar com o coração a bater aceleradamente ao mínimo ruído, querem gelar o sangue a uma sombra ou vulto. É lógico.

   Na minha indiferença ao cinema, em geral, conheço poucos filmes de terror. Há meses, vi um que me deixou perturbado, nem tanto por medo. Hunger. Um grupo de indivíduos que é raptado e transferido para um subterrâneo por um psicopata, sem que o saiba. Deixou-lhes apenas água e um bisturi. Assim ficaram por semanas e semanas. Já se imagina o resto... Por último, no início do ano, vi o REC e o REC 3, de origem espanhola, que também têm o seu pedaço de suspense e terror.

    Estão à vontade para me aconselhar filmes. Alguns, porventura, conhecerei; outros, nem por isso. :)

36 comentários:

  1. vê um que é o "we are what they are" :D também gosto de filmes de terror e o "exorcista" é aquele clássico! vi os "rec" e adorei, mais o 1. esse "hunger" não conheço, quero ver se procuro. o "carrie" curti este de 2013. um abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não conheço esse que referiste. O 'Hunger' é perturbador. :s No way, o 'Carrie', de 2013, é péssimo! Não tem NADA a ver com o original de 1976.

      Vou procurar o que me aconselhaste.

      um abraço.

      Eliminar
    2. *"we are what WE are" e não they are xD sim também gostei mais do de 1976 :D

      Eliminar
    3. Eu procurei no Google com o 'they' e não apareceu nada! LOL Ah bom, 'we are'. :D

      Eliminar
  2. Adoro filmes de terror. Os de terror psicológico mexem mais comigo que os de coisas espíritas e assim, por exemplo "the last house on the left" que gostei tanto do original como da versão revamped uns anos depois.
    Tenho uma grande tendÊncia é pra ver filmes de terror péssimos, para me rir dos argumentos descabidos.
    Por acaso, nunca consegui ver o exorcista todo, fazia me demasiada impressão e acabava a mudar de canal ou assim, sou um grande maricas (e uma ótima companhia para reafirmar a masculinidade de quem quer que veja filmes de terror comigo xD).
    Comecei a ver o carrie de 2013 mas nem vi 10 minutos, achei uma seca. os remakes dos clássicos deixam na maioria demasiado a desejar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Adoro os que envolvem espiritismo. :) Não conheço o que referiste. Irei procurar.

      Eu tenho uma enorme tendência para ver TODOS os filmes que dizem péssimos. :) É uma parvoíce, mas gosto de tirar as minhas próprias conclusões.

      Conheço várias pessoas que não conseguem ver 'O Exorcista' todo. A mãe ficou perturbada quando viu. É um clássico e o filme mais assustador de todos os tempos. É tão perfeito e aquele ar 'seventies' torna tudo ainda melhor.

      Gosh, pior do que sequelas só mesmo remakes. :s Concordo: de clássicos é quase um crime!

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Ahahah, eu vi 'O Exorcista' umas três vezes. Recordo-me bem da segunda. Estava na sala de estar, sozinho em casa, e chovia. Não trovejava, vá lá. Tive medo, claro. Mas aguentei-me ali firme, macho. Sou homem ou sou um rato? xD

      Eliminar
    2. Odeio todos. xD Não vi nem quero ver nenhum!! lolol

      Eliminar
  4. Gostei do Carrie, mas não irei ver esta segunda versão apesar de ser com uma das actrizes que mais gosto a fazer o papel que era da Piper Laurie - Julianne Moore.
    O outro filme não vi nem me interessa.
    Um filme que para mim, foi de puro terror foi "Os Pássaros" do Hitchcock, pois eu tenho fobia a pássaros (só os tolero ao longe...).
    Se quiseres ver grandes filmes de terror, aqui vão três excelentes exemplos: "The Night of the Hunter" (1955); "Shinning" (1980) e "Cape Fear" (1991).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A segunda versão do 'Carrie' era desnecessária. A interpretação da Piper Laurie é única. Rematou imediatamente aquela personagem. :)

      Olha que 'O Exorcista' é um grande filme, unanimemente aplaudido. A Linda Blair esteve nomeada para um Oscar de Melhor Actriz.

      Pois, eu tenho conhecimento dessa tua fobia. Já eu é em relação a cães grandes. Odeio.

      Do três que elencaste, conheço o 'Shining' e o 'Cape Fear'. :)

      Eliminar
  5. Confesso que o Exorcista ainda me dá noites em claro.

    Abraço amigo, já perdi o gosto por filmes de terror

    Abraço amigo e bom sábado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É inquietante.

      um abraço, Francisco, e continuação de um bom fim de semana. :)

      Eliminar
  6. Shining, claro, mas tens que ver um dos meus favoritos, The Thing, do Carpenter, ou aqui conhecido como 'Veio do Outro Mundo': http://www.imdb.com/title/tt0084787/
    Carrie é o clássico. e o Pesadelo em Elm Street, com o freddy krueger, também, mas eu fico-me pelo género do primeiro filme que mencionei e neste campo John Carpenter é o melhor.
    bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelas sugestões, Margarida. Não vi nenhum dos dois que mencionaste. :)

      Já vi que também gostas do género 'terror'. :D

      um beijinho.

      Eliminar
    2. gosto muito, :) tens que ver, pelo menos o do Carpenter.

      Eliminar
    3. Sim, sim, claro! Vou ver o 'The Thing', o 'A Nightmare on Elm Street', o 'We Are What We Are', o 'The Last House on the Left' e o 'The Night of the Hunter', todos recomendados por vocês. :)

      Eliminar
    4. p.s.: E mais que ainda venham. xD

      Eliminar
  7. Acrescenta o Shining a essa lista :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, sim, Shiver, claro. Já o vi, mas é sempre bom de rever. :) Obrigado! :)

      Eliminar
  8. Estou muito desiludido Mark. Filmes de terror? Estava a ver um percurso de vida tão brilhante para ti... agora filmes de terror... ODEIO FILMES DE TERROR lololol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahah, não podemos ser perfeitos. x) Eu gosto, mas, calma, não é algo que veja todas as semanas. Nem todos os meses. :)

      Olha, olha, mais um mariquinhas pé de salsa. :DD

      Eliminar
    2. LOL Sou um bocadinho sim LOL

      Eliminar
    3. Namorado, com esses braços trabalhados, davas um murro na Regan que ela nem sabia onde se metia. Coitado do Pazuzu, ahahah. :DD

      Eliminar
  9. Os filmes sobre a vida real aterrorizam-me mais, do que os de terror propriamente ditos. XD

    Ia aconselhar-te o do Carpenter, mas a Margarida o fez. Gosto muito do Alien do Ridley Scott, acho dos melhores filmes de terror de todos os tempos. Há também um filme de vampiros dos anos 80, 'The hunger' ,que gosto muito, mas é mais uma história romântica do que um filme de terror http://www.imdb.com/title/tt0085701/?ref_=nv_sr_5

    Abraço, Mark.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem verdade. A vida real atemoriza mais. Lol :)

      Obrigado pelas sugestões, Arrakis. Não conheço nenhum dos que enunciaste.

      um abraço. :)

      Eliminar
  10. Olha, eu não te consigo ajudar. Detesto filmes de terror... Serei gay?

    ResponderEliminar
  11. Sinceramente não sou mesmo fã de filmes de terror. É que nem os vejo! lol

    ResponderEliminar
  12. Curiosamente, uma das poucas coisas que eu e o meu rapaz temos em comum é o gosto por filmes de terror. E, precisamente poucos dias depois deste post, fizémos uma noitada a ver o Carrie original e o remake. Pese embora a presença da Julianne Moor, o remake é muito mau, de bradar aos céus.
    A minha referência em filmes de terror também é o Carpenter, e o P idolatra o Jackl Torrance no Shinning. Dada a tua fobia a cães grandes, nunca vejas o Cujo, de Stephen King, sobre um São Bernando doce e meigo (qual Beethoven) que vira assassino.

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)