5 de fevereiro de 2013

Os homens não choram.


    A prima pediu-me para ir com o menino a uma pastelaria comprar-lhe um bolo. O Martim tem cinco anos, mas é muito apegado à mãe, sobretudo. Na educação que lhe dão, revejo a minha infância, em parte. Começa, claustrofobicamente, a ser mantido na redoma de cristal, desconhecendo, a sua mãe, por incúria ou distracção, que o mundo lá fora não permite uma alienação tão grande da realidade.

    Há dias caiu ao chão. Fez um arranhão - ou um dói-dói - como ele diz, no bracinho e no nariz. Chorão, segundo me contaram, berrou durante imenso tempo, não acostumado que está a nenhum revés. Aliás, se quer um brinquedo e não lho dão, fica uma fera que em nada se coaduna com a sua idade!...

    A senhora da pastelaria veio ao nosso encontro e atendeu-nos. O Martim tem uns olhos enormes e é muito esperto, atraindo as atenções. Não tardou em querer uma série de artigos expostos perto da caixa...
   Ao vê-lo, a senhora interpelou-o, achando graça à birra. Perguntou-lhe como é que tinha feito aqueles arranhões. Eu contei sucintamente, enfim, conversas de circunstância. Contudo, quando menos esperava, e num tom audível, disse-lhe que "os homens não choram", provocando manifestações de anuência em outras pessoas, homens, na sua maioria, e algumas mulheres. Discorreu as suas ideias pré-concebidas, não se limitando a essa frase emblemática. Por educação, controlei o que no momento quis dizer, mas não pude deixar em branco. 

    Claramente, os homens choram. Choram como sempre choraram. Choram porque têm sentimentos, porque se sentem tristes, felizes, desesperados, apaixonados. São livres de exprimir as suas emoções, não estando vinculados à lágrima apenas permitida no nascimento de um filho, num funeral ou numa partida de futebol. 

    Em frases, à primeira vista inocentes, esconde-se um preconceito enraizado, cujas raízes, profundas, custam a extrair.

31 comentários:

  1. É uma frase feita ou de circunstância.
    Mas como diz a canção: "Os homens também choram, quando assim tem que ser..."
    Abc

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma frase feita, sim, mas assenta na ideia descabida - e ainda presente - de que os homens, másculos, não choram. Como se chorar fosse uma demonstração de fraqueza, algo próprio do sexo feminino... :s

      abraço.

      Eliminar
  2. " Em frases, à primeira vista inocentes, esconde-se um preconceito enraizado, cujas raízes, profundas, custam a extrair. " tal e qual e isso... isso irrita-me tanto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há ainda um longo caminho a percorrer... :|

      Eliminar
  3. Concordo plenamente! ^o^
    Os homens chorar e ainda bem que o fazem. O choro é muitas vezes uma forma de exprimirmos o que de mais profundo sentimos dentro dos nossos corações e das nossas almas. Mas também é verdade que muitos homens e algumas mulheres, preferem chorar em silêncio, escondidos de tudo e de todos, porque para muitos, chorar ainda é um sinal de fraqueza... - outra ideia preconceituosa e errada.

    Hughie :3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dessa ideia ideia errada de fraqueza é que advém o preconceito. Sendo fortes, à partida, os homens não podem chorar. :s

      Ainda o que me deixou mais irritado foram os olhares complacentes de quem ouviu. Haja paciência para tanto atraso...

      abraço.

      Eliminar
  4. Somos um país de preconceitos, e que vão demorar a combater. Mas já estivemos mais longe. Ah, e eu choro! :P

    ResponderEliminar
  5. Mark

    Tanta gente que concorda que homem que é homem não chora. Enfim...

    É um dos preconceitos assumidos pela Sociedade, logo muitos anos para se mudar algo ;)

    Abraço :3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, o que é que queres? xD Fico sempre estupefacto quando me deparo com estas ideias "anos 50 do século XX"! LOL


      abraço.

      Eliminar
  6. Tens tanta, tanta razão no que dizes Mark. Mas é mesmo assim que somos educados: a esconder os sentimentos, porque ousar exprimi-los diminui-nos a masculinidade. Enfim...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É... infelizmente.

      Comigo, foi diferente. Os pais nunca me reprimiram. Protegeram-me imenso, sim, ainda hoje!... Com o Martim é igual, creio. Pude chorar à vontade e acredita que chorei. :D

      p.s.: Speedy, voltaaaaaaaaaa! xD

      Eliminar
  7. Respostas
    1. Quando te apetecer, chora. Jamais reprimas o que sentes!

      Eliminar
  8. Homem que é homem chora. Se chora é porque o que perdeu era especial e verdadeiro. (:

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não poderia concordar mais: "homem que é homem chora".

      Tudo dito! :)

      Eliminar
  9. O ser humano chora, como ser emocional que é. E podia dizer muito mais coisas acerca disto.
    Essa é uma das muitas ideias préconcebidas (já nem sei como se escreve com este acordo) da sociedade. Aqueles estereótipos, as ideias do tipo: as meninas usam saia e brincam com bonecas e os meninos sao fortes, usam azul e brincam com carrinhos.
    As crianças são desde cedo formatadas. Acho que deve haver uma diferença entre os géneros para a própria identificação do indivíduo mas não sei até que ponto isso limita o pensamento das crianças no futuro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exacto! As crianças são programadas desde pequenas para, mais tarde, assumirem um determinado papel. Deveria ser um processo livre de identificação.

      Às meninas dão bonecas e panelinhas, despertando-lhes a feminilidade, a vocação para futuras mães e esposas dedicadas, donas de casa perfeitas; aos meninos, carrinhos e bolas de futebol, um "Action Man" fica sempre bem... A violência que se transfere vinte anos depois para as mulheres e os filhos!

      Eu acho que limita imenso. Um menino pode brincar com bonecas e ser heterossexual, como pode brincar com carrinhos e ser homossexual. Não vejo vantagem alguma nesses estereótipos. :(

      Eliminar
  10. é verdade , mas por vezes sinto mais facilidade em escrever sobre amor :))

    ResponderEliminar
  11. É com estes chavões aparentemente inocentes que se vão incutindo ideias pré-concebidas e disparatadas na cabeça das nossas crianças.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exactamente! :s É isso que me indigna.

      abraço.

      Eliminar
  12. eu brincava com carrinhos, embora tivesse também panelinhas e um fogãozinho e umas bonecas que ficavam mais giras com muitas sardas a marcador azul :D
    mas preferia as brincadeiras dos meninos, as caricas e os berlindes e uma vez desmanchei as molas de madeira da mãe para fazer barreiras para as corridas de caricas do frisumo que traziam o homem-aranha.
    sim, ainda hoje os pais (vejo mais as mães que os pais) tentam proteger os filhos rapazes e dizer essa frase fantástica. felizmente tenho um bom exemplo cá de casa, com um sobrinho a andar a pilhas duracell sobe a tudo quanto é cadeira e se cair chora e aprende, e cai e chora e volta a subir que é tarzan! :D teimoso!
    sim, as mentalidades custam a alterar, mas aos poucos, mudam.
    bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O relato desses tempos felizes é tão bonito. :')

      Os meus brinquedos poder-se-iam considerar como neutros, pois brincava essencialmente com a "Playmobil", com a "LEGO" e com os "Power Rangers" (tinha todos e vários monstros para se digladiarem xD). Neutros, a pender para o masculino. :D Isto em pequenino mesmo! Depois, mais crescidinho, eram essencialmente as consolas de jogos. Claro que também brinquei muito com as Barbies das primas! :D

      beijinho.

      Eliminar
  13. Que preferias? Que a menina da pastelaria contribuísse para a redoma de cristal do Martim?

    "Os homens não choram" é uma das frases mais bonitas de se dizer às crianças. Depois elas crescem e aprendem a verdade. Pelo menos deixa-as ser inocentes na idade da inocência.

    Ok ok, compliquei o texto... é normal.

    lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Preferia que a "menina" da pastelaria não fosse preconceituosa. :)

      Quanto à segunda parte do teu comentário, bela perspectiva. :D
      Pena que não foi com essa intenção que ela o disse. ;)

      Eliminar
  14. Choram e ainda bem que choram ;)

    http://www.youtube.com/watch?v=9GkVhgIeGJQ

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Clássico! *.*

      Adoro, obrigado, Paulo. :)

      Eliminar
  15. Bem a propósito, hoje mesmo já me fartei de chorar, e não só eu...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As lágrimas da despedida. Como deve doer...

      Em breve estarão juntos de novo, assim espero. :)

      Eliminar
  16. Sabe, eu tenho um tremenda raiva desses preconceitos arraigados que teimam em não sair. às veze me pego praticando-os, parece que é meio natural,apesar de não ser.
    O mais triste é que nós acabamos por passá-los para nossas crianças. Eu tenho um sobrinho pequeno de 2 anos, outro dia ele estava chorando querando a mãe que estava trabalhando, queria porque queria falar com ela ao telefone, daí minha sobrinha de 6 anos disse algo assim: Guilherme, para de chorar! você é homem! Eu fiquei pensando depois sobre isso, como nós passamos e perpetuamos nossos preconceitos e ideias pré-concebidas para as novas gerações. Isso é horrível.

    Abraços,Mark.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, é terrível. São palavras inocentes à primeira vista, mas escondem o preconceito. Uma menina de seis anos já a pensar dessa maneira é verdadeiramente preocupante.

      Serão precisas décadas e mesmo assim sempre subsistirá uma réstia de preconceito. É inevitável. O Homem não é perfeito. "Homem", termo profundamente sexista. :D

      abraço.

      Eliminar

Um pouco da vossa magia... :)