17 de Janeiro de 2013

Diamonds are forever.


   Morrer jovem é como interromper uma música, é doce que não se come até ao fim, é viagem que não termina quando deveria. É parar um filme a meio, é rasgar as páginas de um livro cujo desfecho se desconhece. É ida sem retorno, é bilhete que se compra para destino incerto. Morrer jovem é trair um amigo, um pai, uma avó. É cobardia. É sair de cena sem vénia, é não dar tempo aos aplausos, é não esperar pela interpretação de uma carreira.

   Morrer jovem é desligar a televisão no melhor do programa, é rebuçado que se rouba a uma criança, é desenho incompleto. É conto que fica sem final, é princesa que não acorda do feitiço, é Verão que não chega. Morrer jovem é cortar uma árvore pela raiz, é apanhar um cardume de peixes pequenos, é parar o curso de um rio.

   Morrer jovem é deixar um monte de coisas por fazer. É a casa que não se compra, é o curso de alemão que não se frequenta. São as fotografias de um casamento que não existiu, são os filhos que não se teve. É contrariar a velhice, fintando-a. Morrer jovem é faltar aos compromissos, é ser desleal com todos os que nos amam, é alguém que fica de porta-retrato na mão, chorando. É zombar do tempo, é rir das maleitas da idade, é biografia incipiente.

   Morrer jovem é escandaloso, é dizer não ao futuro. Quem morre jovem, torna-se mito. É uma existência que vai directamente para o firmamento. É tema de conversa de café, é lamento / lugar-comum, é sorriso que perdura na memória. Morrer jovem é evitar os cabelos brancos, é manter a candura até ao suspiro final, é a pele que não enruga. É levantar da cadeira sem pedir licença, sair e não voltar. É dispensar o até já, passando de imediato ao adeus.
 
   Morrer jovem é destruir uma família. É enlutar uma mãe e exigir-lhe forças.
   Por tudo isto, morrer jovem é injusto, imoral, inominável.
 
   Morrer jovem deveria ser proibido.

34 comentários:

  1. Está tudo dito!!! Eu ja passei por isso o ano passado xS

    ResponderEliminar
  2. Morrer jovem é tudo isso... É injusto demais. Um ótimo texto.

    Abraço!

    ResponderEliminar
  3. Verdade,

    Creio que deve ser a maior dor para quem continua a viver :(

    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  4. Não percebo se morreu algum rapaz que tu conheces. Mas é horrível morrer jovem. Devia ser proibido. No entanto escreves muito bem. Parabéns.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, trata-se de uma crónica. :)

      Obrigado!

      Eliminar
  5. É isso tudo sim. E espero que seja só uma reflexão.
    As perdas são todas dolorosas (e já passei por algumas), mas algumas custam mais que outras.
    Abraço
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estas são inesperadas. Bom, nem sempre.

      abraço. '-'

      Eliminar
  6. Olá Mark.

    Mais um texto lindo, apesar do tema ser a morte - mais que a morte, a morte de um jovem.
    Vi que se trata de um artigo.
    Não me surpreendes pois já conheço bem a altíssima qualidade do que escreves.

    Espero que tudo esteja bem contigo - saúde e exames incluídos.
    Grande abraço com toda a ternura.

    Gosto tanto de ti, meu amigo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Pedro.

      Obrigado!

      Está tudo bem, felizmente. Melhorei e estou quase bom.
      Os exames decorrem... Vamos ver!

      abraço e obrigado pelo carinho :3

      Eliminar
  7. Um texto maravilhoso. Tanta coisa devia ser proibida...morrer-se jovem, deixar-se de trabalhar quando se atinge uma certa idade, certas pessoas morrerem...tantas seriam as coisas que poderíamos enumerar aqui e agora, relativamente à vida e à sua própria fragilidade. Talvez por isso ela seja tão especial.

    Devemos viver cada dia o melhor que pudermos.

    Um dia, será certamente o último.

    Hughie :*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo integralmente contigo! Somos muito frágeis e o último dia poderá ser hoje...

      abraço '-'

      Eliminar
  8. Infelizmente, não controlamos o destino, e por vezes a nossa insignificância face ao universo manifesta-se assim mesmo, pela morte de alguém 'que tinha toda a sua vida à frente'. Apesar da morte ser sempre de lamentar, creio que com ela também podemos aprender algumas coisas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podemos. Podemos aprender, nomeadamente, a aproveitar melhor os dias. Às vezes, quando faço os meus "cataclismos" do costume, tento relativizar as coisas. Somos tão efémeros.

      Eliminar
  9. Ainda bem que é só uma crónica, uma excelente crónica.
    Infelizmente, já passei pela situação de ver jovens amigos partirem, a maior parte deles por acidentes de viação, alguns por doença e até dois suicídios, mas eu já cá ando há muito tempo...
    Uma coisa que me marcou muito, foi a morte de uma irmã, que apesar de não ter morido nova, também não era velha; é que vi algo que é terrível - uma Mãe perder um filho.
    É algo de anti natural... Perder o Pai, a Mãe, enfim, custa sempre, mas é ordem natural das coisas; agora perder um filho, deve ser uma dor insuportável.
    Só para concluir com algo menos sombrio, devo lembrar que em certos casos, morrer muito jovem acelera a criação de um mito, se a pessoa é publicamente conhecida e reconhecida ou pelo talento, ou pela beleza. Dou como exemplos, em campos muito diferentes, o James Dean e o Ayrton Senna.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu és uma pessoa cheia de experiência e de vivências. Certamente já terás visto imensas coisas, muitas delas negativas. Passaste por anos difíceis...
      A morte de um filho, dizem, é das piores sensações, justamente por ser anti-natural. Nenhum pai está preparado para isso e raramente tem tempo para se preparar.
      Os exemplos que enunciaste são a prova de que os mitos existem. Eu acrescentaria a Marilyn Monroe. :)

      Eliminar
  10. Morrer cedo é uma tragédia e é de facto tudo o que escreveste, é uma vida interrompida que nos faz perder o sentido da vida.
    Abraço Mark.

    ResponderEliminar
  11. nos últimos dias, a comunicação social referiu o suicídio do Aaron Swartz, hoje li que uma garota de 14 anos faleceu devido a um tumor, mas conseguiu cumprir todos os seus desejos.
    há uns dias, faleceu a criança vítima do cão. quantas crianças e jovens morrem antes de viver a sua vida em pleno? ou talvez a tenham vivido em concentrado, como é o caso da miúda que referi, porque tinha um prazo de vida estipulado. nós também temos um prazo, não sabemos é o limite, por isso resta-nos viver da melhor maneira, saborear a vida, inspirar profundamente e pensar se vale a pena zangarmo-nos por coisas tão fúteis ou aprender que existem outras coisas muito mais valiosas.
    mais uma vez, uma bela crónica, que me emocionou bastante.
    bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que difere é que alguns conhecem o prazo; outros nem por isso, tal como disseste...

      Obrigado, querida.

      beijinho.

      Eliminar
  12. Se a escolha da morte estivesse à nossa escolha... quando a morte chega, ou o seu anúncio, pensamos "porra, tinha tanto para fazer, tanta sítio para conhecer e amputaram-me essa oportunidade". A verdade é que não nos é dada a escolha, nem sequer podemos argumentar. Choramos, achamos injusto, pensamos que não merecemos, mas a verdade é que não podemos vencer essa luta contra a morte. Inglória, que chega e impõe a sua presença. Era tão fácil se as coisas corressem como deviam. Mas não correm.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida. Eu encaro a morte muito bem. Até sei que é meio mórbido da minha parte pensar nisso com esta idade, mas tenho os pés bem assentes no solo. Não aproveito como deveria, mea culpa, contudo, não dou o tempo que passo a estudar como perdido. Penso, sim, às vezes, que poderei andar a esforçar-me e, na volta, desperdiço os melhores anos que tenho.
      Espero que ainda possa dizer que estou a aproveitar alguma coisa. :)

      Eliminar
  13. Morrer jovem é cruel, sem dúvida. Contudo, nas nossas incertezas, o que reservado estaria a essa ser? O que é a morte?
    Numa perspetiva espiritualista, que tanto me entusiasma, pode significar o ter vindo à terra para algo ensinar a entes queridos de um passado cruzado.
    Morrer velho e sem dignidade?... O que dizer? Merecemos envelhecer perdendo faculdades essenciais?
    Abraço-te

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um raciocínio curioso, mas a verdade é que a medicina evoluiu imenso nos últimos cem anos e, por isso, é legítimo esperarmos uma vida longa. Há sempre o lado positivo e o negativo. Quem morre precocemente escapa às mazelas do tempo. O envelhecimento, tarde ou cedo, é deplorável. É o organismo que sucumbe a doenças, a tragédias, a desgostos... Quem diz que envelhecer é bom, mente. Contudo, envelhecer é o mais normal.

      abraço.

      Eliminar
  14. Morre jovem é também a cristalização de projetos, que continuarão vir-a-ser, sem nunca ser.

    ResponderEliminar
  15. Olá.
    Gostei muito do seu blog, parabéns.
    Sempre que possível estarei passando por aqui.
    Até mais

    ResponderEliminar
  16. Parabens, excelente texto,
    estes últimos dias tenho encontrado bons blogs uns a seguir aos outros :)
    é um circulo...

    ganhaste mais um leitor...
    abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá rapaz blogger. :)

      Obrigado pelas tuas palavras e por teres gostado.

      É uma honra para mim.

      abraço. '-'

      Eliminar

Um pouco da vossa magia... :)