1 de novembro de 2012

November night.


   Os dias passados a aguardar a coragem para subir ao telhado chegaram, por fim. Remeti-a para um momento ulterior à passagem do próprio medo. Afinal, não ousaria desafiar a lei da gravidade se não me estendesses a mão. Convém referir que tinha frio e estava nervoso. Sabes, fosse Verão e a minha mão não conseguiria apoiar-se na tua.
   As escadas do velho sótão rangiam às pancadas graves dos nossos pés no soalho de madeira envelhecido. A falta de suspense e a monotonia típica da minha vida levaram-me a acreditar que era protagonista de um filme de acção de baixo orçamento. Devo dizer que a cortina branca, de linho, (ou seria azul?) impelia-me a uma apreensão súbita, apesar de saber que, a teu lado, tudo seria factível.

   Não será necessário referir que o mais importante no momento, para mim, era experimentar algo de novo. A avó costumava avisar a mãe de que urgia deixar-me viver mais. Viver, entenda-se, no sentido de ousar ir além da cerca de madeira intransponível que me ergueram. Como nunca me ensinaram a pular um muro, raso que fosse, constrangia-me a ficar inerte.
   Fomos pelas divisões contraluz. Tornaria tudo mais emocionante. Agora, parando, poderia sentir o meu batimento cardíaco.

   Nunca fiz nada com vista aos resultados. O luar, na pele, bastar-me-ia. Mas, graças a ti, deixei o temor na esteira dos meus fantasmas.

10 comentários:

  1. eu adoro cada vez mais os teus textos!

    ResponderEliminar
  2. Quem te estendeu a mão?
    Não, não tens que responder.
    É em sentido figurado.
    Todos precisamos de quem nos estenda a mão.
    A ajuda, o apoio...
    Certo é que conseguiste.

    Gostei muito Mark.

    Com ternura e carinho,

    um abraço amigo :33

    ResponderEliminar
  3. Muito bonito :D
    Adorei o teu texto.
    Abraço*

    ResponderEliminar
  4. Não interessa quem foi, embora suspeite...
    Só sei que foi fundamental para ti, ir além da cerca do quintal, como a tua Avó gostava...

    ResponderEliminar
  5. Gostei,

    Temos de "cair" para ganhar confiança e equilíbrio :)

    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  6. A emoção das novas descobertas é tão entusiasmante e então quando se tem a companhia certa...:)
    Muito bom este teu texto.
    Abraço Mark.

    ResponderEliminar
  7. interessa é que desafiaste o teu medo e saiste da tua zona de conforto. e é melhor fazê-lo com a ajuda de outra pessoa, da pessoa que te é especial.
    bjs.

    ResponderEliminar
  8. LINDO!!!!

    http://www.facebook.com/estilohedonico
    http://estilohedonico.blogspot.pt/

    xoxo

    ResponderEliminar
  9. Awwwww! ^w^

    Adorei o texto!

    Em poucas palavras expuseste um sem número de emoções que por certo se tornaram inesquecíveis....

    Ao ler-te recordo-me dos momentos em que o Shu me deu as mãos lá em Castelo Branco, no meio de toda a gente, pela primeira vez...o meu coração batia cá dentro a toda a velocidade...e queria saltar cá para fora!

    Foi uma grande vitória para mim esse momento [nunca me tinha acontecido], bem como todos os doces momentos que se seguiram a esse... ^^

    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  10. Muito bom este teu texto. Seu blog tem magia,
    Abraço Mr. Mark

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)