13 de maio de 2012

O rapaz da bola de futebol.


 Senti a camisa estranhamente justa ao corpo. Apesar do tecido leve, senti-me coberto por mantas pesadas, quentes, prestes a desfalecer. Nem uma brisa, por mínima que fosse, corria debaixo da árvore de troncos finos enfeitados de pequenas flores, brancas, que se soltavam a todo o tempo, transformando o chão em pedaços de céu. Seria a minha hipótese de tocar as nuvens.

 Não quis o livro. A boca tinha sede. Num pequeno bebedouro, metalizado, a água corria quente. Deixando-a correr, à medida em que comprimia o botão enferrujado, senti-a a arrefecer, bebendo, então, golfadas com sofreguidão.

 Ao longe, não muito distante, um rapaz jogava à bola, sozinho. Dava pequenos pontapés, impulsionando o objecto esférico contra uma parede que, voltando na direcção oposta, permitia mais um e outro chute. Detendo-a no solo, aproveitava e fazia pequenos dribles, atirando-a ao ar, cabeceando-a, para de novo a colocar no chão. Ao ver-me, murmurou-me com o olhar um qualquer convite para jogar consigo. O seu corpo revelava trabalho. As suas pernas, força. As suas mãos, determinação. O seu olhar, solidão.
 Então, na tarde em que ele reparou em mim e eu reparei em si, na mesma tarde em que poderia ter lhe dirigido uma palavra, não o fiz. Porque altos muros se erguem sobre cada um. Porque o silêncio sobra quando nada há a dizer.

 E tudo quanto existia era uma bola de futebol, num campo de terra onde enterrei o sonho.


18 comentários:

  1. Ai,

    Queres que eu te empreste uma escada para subires esses muros? Ou, preferes contorná.los?

    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  2. Seria bom subi-los. :)

    hughie :3

    ResponderEliminar
  3. Os sonhos nunca se podem enterrar, meu bom amigo; é precisamente o contrário, desenterrá-los e torná-los reais...

    ResponderEliminar
  4. em vez de jogares à bola, convidavas-o para descansar ao teu lado :)

    ResponderEliminar
  5. João, tens toda a razão. :3



    Speedy, só depois de passarem as oportunidades é que conseguiria fazer tudo. :)

    ResponderEliminar
  6. Olá Mark!

    Esse rapaz era aquele que costuma jogar à bola na casa ao lado da tua avó?

    Se for esse, tu andas a perder algumas oportunidades de o conhecer melhor...

    Vá, não tenhas medo. ^w^

    Qual o problema de lhe dizeres que não tens grande jeito para jogar à bola?

    Não precisas de ter vergonha! :)

    Quem sabe ele não te ensina e ajuda e ganhas ali um novo "parceiro"? ;)

    Hughie! :3

    ResponderEliminar
  7. nada a dizer, mas um sorriso podia ser suficiente :). bjs.

    ResponderEliminar
  8. Hórus: Não, é outro. Este rapaz não faço a mínima ideia de quem seja. Estava a jogar à bola, sozinho, num jardim aqui perto de minha casa que tem um "parque", digamos assim, onde costumam jogar à bola. Esse de que falas é o famigerado vizinho da avó. :)

    Parceiro? Ahahah, eu acho que nunca dei um toque numa bola de futebol com os pés. :D

    hughie :3


    Margarida: É verdade. :) Beijinho! ^^

    ResponderEliminar
  9. Os muros de que falas são outros que não os de pedra ou cimento...
    Mas são esses mesmos muros que também não consigo contornar, ou ultrapassar...
    Enfim, coisas...
    Um abraço com todo o carinho <3

    ResponderEliminar
  10. Pedro: Eu não consigo ultrapassar nenhuns. Nunca fui aventureiro ao ponto de pular muros. :$ :$ :$ Mas, realmente, os mais difíceis de transpor são estes. Oh, quão mais difíceis são!...

    Abraço carinhoso! <3

    ResponderEliminar
  11. Com tempo e alguma determinação conseguirás ultrapassar esses muros. Ou então cruzar-te com alguém que esteja do lado de cá do teu muro.

    ResponderEliminar
  12. Coelhinho: Quem sabe... :-) Hoje apeteceu-me colocar um nariz no smile, ahah :D

    ResponderEliminar
  13. Se for um nariz de palhaço fica assim :o)

    ResponderEliminar
  14. Ahahah, isso foi tão fofinho (:

    ResponderEliminar
  15. É preciso tentar.
    Se o não fizermos nunca saberemos se do outro lado está o que procuramos.
    Gosto-te tanto :3

    ResponderEliminar
  16. Eu tento... :$

    Awwwwn, merci beaucoup. :p

    ResponderEliminar
  17. Eu disse parceiro à falta de melhor termo - amigo seria exagero, colega seria os da faculdade, conhecido...talvez fosse mais adequado. ;)

    Nunca fui fã de bola, mas o Nuninho adora...eu acabei por aprender a jogar com ele, ahahaha :P

    Hughie :3

    ResponderEliminar
  18. Hórus: Eu, decididamente, não entendo nada de futebol, sobretudo no que diz respeito a "jogar". Até sei alguns pormenores técnicos da modalidade e gosto de estar minimamente informado do que se passa no mundo futebolístico (também seria impossível outra coisa com o "bombardeamento" de notícias sobre futebol a que somos sujeitos hoje em dia). xD

    hughie :3

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)