22 de maio de 2012

Na tarde em que o vento não se fez sentir.


 Pedi um Magnum de amêndoas ao rapaz do café. Sorriu-me pelo facto de não ter troco à nota que lhe dei. Aguardei uns minutos e surgiu-me com o troco. Sorri, retribuindo-lhe a simpatia.
 Seria a minha pequena recompensa pelas aulas, assim com uma colega que todos os dias tira M&M's na máquina da faculdade. Quando me oferece, procuro as bolinhas verdes, num hábito que adquiri e que ela constatou rapidamente.
 Decidi que não comeria o gelado pelo caminho. Precisava de parar para pensar. Sentei-me no muro da porta de entrada da faculdade a saboreá-lo. As pernas ficaram suspensas, numa altura ainda considerável. Passaram por mim professores e alunos, incluindo o professor de D.UE que, ao atentar em mim, sorriu-me discretamente. Talvez porque o cenário não fosse assim tão recorrente. Talvez porque também queria sentar-se a comer um gelado, sem preocupações nem testes por corrigir. As obrigações provavelmente não o deixariam. É bom ser-se livre. O que pensariam os colegas, os professores catedráticos e jubilados se o vissem - sim, a ele - à entrada da faculdade a comer um gelado? Tomá-lo-iam por insano. Insanos são aqueles que perdem o brilho no olhar. Ele ainda o mantém.
 Estava um vento desagradável, mas o seu efeito não se fez sentir em mim. Tive minutos que pareceram horas, em que discorri pensamentos e vontades, mais das vezes inconciliáveis. Ao terminar o gelado, pensei em pular do alto do muro, mas temi magoar-me. O pulo sairia desastroso. Melhor seria não arriscar.
 Peguei na mala e saí em direcção ao metro.


11 comentários:

  1. E um pouco de rebeldia nunca fez mal a ninguém. Também adoro saborear um gelado como se não houvesse amanhã, como se fosse o último prazer.

    ResponderEliminar
  2. Uma pausa "KitKat" sabe sempre bem (:

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Gostei muito das considerações acerca do teu professor...

    ResponderEliminar
  4. Talvez o teu professor sorriu não para ti, mas para o gelado, lembrando-se que já esteve nessa situação. Saudades...

    ResponderEliminar
  5. Foi pena eu não estar no metro para te receber... lol XD

    ResponderEliminar
  6. Gato: Sabe tão bem. :p

    Francisco: Muito. :)

    João: Admito, vá, acho-o fofinho, ahahah :D

    Abacalhoado: Pois, se calhar... :) Mas ele costuma sorrir para mim nas aulas, para mim e para os outros alunos. É simpático. :)

    Miguel: Ahahah, és demais. :D

    Abraço a todos. :3

    ResponderEliminar
  7. Sabe sempre bem uma pausa, para variar! ^w^

    ResponderEliminar
  8. Na tarde em que o vento não se fez sentir tu sentiste sorrisos e esboçaste sorrisos...

    Assim é bom que o vento não se faça sentir...

    O meu sorriso para ti :)

    E o carinho também!

    ResponderEliminar
  9. as tuas aventuras giram sempre à volta de sorrisos. :) e há algo mais bonito que isso?
    bjs.

    ResponderEliminar
  10. Pedro: O meu sorriso ":)" para ti e o meu obrigado por tudo. <3

    Abraço. :33


    Margarida: Sabes, talvez porque em mil e uma imagens que retenho na memória, as que mais fixo são os sorrisos: os que esbocei e os que recebi. :)
    Beijinho. *

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)