5 de maio de 2012

Gosto de ti.


 Um amigo confidenciou-me que estava mal, sem força anímica para enfrentar os problemas que tem. A princípio, ouvindo-o falar comigo sobre assuntos tão pessoais, senti-me bem por estar a ser o seu confidente, num misto de honra inexplicável. Talvez por não falarmos há imenso tempo e por nunca termos sido especialmente próximos, quis corresponder às suas expectativas. E isso passava, também, por dizer as palavras certas, não vacilando na hora de demonstrar firmeza.
 Ouvi o que tinha para me dizer e vi a tristeza espelhada nos seus olhos. Sempre soube que um olhar, por vezes, revela bem mais do que umas frases soltas, sem sentido e sem qualquer expressividade.
 Quis abraçá-lo, mas temi; quis dizer algo que o confortasse; sei que se soubéssemos aconselhar alguém, provavelmente não cometeríamos erros. Fiquei, por isso, inerte, escutando os seus desabafos, interrogando-me sobre o motivo de ter me escolhido. Logo ele, que sempre esteve rodeado de pessoas, o mesmo que, agora, se sentiu só.


"Gosto de ti!"


 Disse-o e acreditei no que dissera. O seu rosto assumiu um semblante sério; os seus olhos lacrimejaram um pouco. Poderia ter soado a um lugar comum e não foi premeditado. Disse o que sentia.
 Torna-se raro dizer que gostamos de alguém. Torna-se raro alguém dizer que gosta de nós.
 As alegrias são de todos; só a tristeza não tem dono.


13 comentários:

  1. Existem tantas formas de dizermos "gosto de ti"...mas sem dúvida que escutarmos alguém a dizer-nos é sempre muito agradável...

    Da próxima não tenhas receio de o abraçar, de esboçar um sorriso...as pessoas precisam dessa força, desse carinho, desse encorojamento para ficarem um bocadinho melhores!

    Abraço grande! ^o^

    ResponderEliminar
  2. Linda história...
    Gostei muito das pausas... dos silêncios.
    Gostei muito porque tu és uma pessoa especial.

    Também eu desabafaria contigo...

    Gosto de ti!

    Um abraço com todo o carinho :3

    ResponderEliminar
  3. Desenvolve lá esse "Gosto de ti" ;)

    Abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  4. Paulo: Fiz o que senti. :)

    Hórus: Tens razão; não o fiz porque temi. :/ Abraço grande. :3

    Pedro: Ohh, obrigado! :$ Abraço grande. :3

    Francisco: Não há nada mais a desenvolver. :) Abraço e igualmente. :3

    Speedy: Obrigado! :)

    ResponderEliminar
  5. Fizeste bem. E um abraço tb faz milagres :)

    ResponderEliminar
  6. sad eyes: Às vezes, uma palavra dita no momento certo faz milagres, quanto mais um abraço. (:

    ResponderEliminar
  7. E tu sabes escolher o momento e a palavra certa. Não soa nunca a cliché...

    ResponderEliminar
  8. SEnti-te tao humnao, tao bom, tao doce, nesse "Gosto de ti"... dizê-lo, de forma natural , simples e espontânea, devia ser obrigatório.

    Muitas vezes, porém, acontyece que nao nos procuram, nao porque nao precisam, mas pelos sinais que emitimos ao contrário. É preciso também estarms atenos aos SOS tacitos.

    Muito, muito bom, Mark.

    O teu abraço :)

    ResponderEliminar
  9. palavras certas num momento delicado foram as perfeitas :) bjs

    ResponderEliminar
  10. Daniel: Obrigado. :) Gostei da expressão "S.O.S tácitos". Dá que pensar...

    Abraço! (:

    Margarida: Não procurei ser certeiro; disse o que sentia. :) Beijinho! *

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)