24 de junho de 2011

Maduros.


Talvez devido ao meu último post sobre Pedro Passos Coelho, recebi uma pergunta na aplicação Formspring a indagar-me sobre se gosto de pessoas maduras. A resposta é contundente: sim. As pessoas maduras são, a todos os níveis (ou pelo menos aos mais importantes), mais interessantes. Têm um outro nível cultural, por vezes económico (geralmente, até) e até mesmo uma maior estabilidade emocional. Se também é verdade que nunca me apaixonei por uma pessoa mais velha (não aconteceu, simplesmente), não deixo de sentir admiração, inclusive, por uma pessoa de meia-idade. Não confundir, evidentemente, esta minha admiração por pessoas maduras numa generalização extensiva aos comuns homens portugueses maduros. Não admiro, nem sinto atração por pessoas embriagadas, que passam a vida a beber cerveja barata, que têm barriga, que mal sabem juntar quatro letras para formar uma palavra, que não têm educação alguma e cujas conversas se resumem a futebol e carros. Este é o triste quadro da maior parte dos homens portugueses de meia-idade. Feios, porcos e maus.
Não pensem que é assim tão incomum um jovem gostar de pessoas mais velhas. Há colegas da mãe, lá na empresa, que são o protótipo do homem maduro interessante. Há vários, até, nomeadamente dois que são particularmente interessantes. Ambos praticam desporto (creio que ténis, golfe e futebol amigável), são altos, magros, sem proeminências abdominais, vulgo barriga, usam barba de três dias, vestem bem (bons fatos de bom corte) e têm cuidados com a sua estética. Um é careca; o outro não. O careca é o mais interessante. Devem ter os seus quarenta / quarenta e cinco anos. São interessantíssimos. Colocam qualquer rapaz da minha faculdade a um canto. Aliás, os professores lá são bem mais interessantes do que os alunos... Creio que o careca é divorciado e vive sozinho. Aposto, deve ter montes de mulheres atrás dele. Vive a vida sem assumir compromissos.
Imagino aqueles homens no dia-a-dia. A sua classe, o seu nível... Têm bons automóveis, frequentam bons restaurantes e bons sítios, de um modo geral. Isso sim são pessoas interessantes. É comparável - sequer- com a bandalhada risível da minha idade? Não trocava um deles por vinte da minha idade, R. incluído. O R., mesmo assim, distingue-se da maioria da nossa idade, caso contrário nem olhava para ele. Tem nível e educação. Quando tiver os seus quarenta vais estar no ponto, até porque é mais charmoso do que bonito, opinião de várias raparigas por lá e minha opinião, também.
São homens experientes, que sabem agradar e estar com outra pessoa. São responsáveis e maduros, contrastando com a volatilidade presente na minha faixa etária. Mesmo no aspecto sexual, são homens com um melhor desempenho no prazer que dão e que recebem.
Há jovens, sim, que gostam de homens maduros que se enquadrem nessa definição por mim enunciada.
A idade pode ser um ótimo estímulo, quando aproveitada e cuidada, para o sucesso de uma relação entre um jovem e um homem maduro.




Foto: George Clooney

11 comentários:

  1. Pois é como dizes; abaixo dos 25 não me despertam o mínimo interesse (fisicamente, claro) e preferentemente depois dos 30.
    E quanto a mim, nunca deixei de ter gente interessada, graças aos deuses...

    ResponderEliminar
  2. que saudades desse cantinho, Mark.
    Que bom saber que continua tão belo quanto antes. Realmente essa coisa de idade no amor, não tem nexo.

    um ótimo fim de semana.
    BEEEEIJOS :*

    ResponderEliminar
  3. não ligo muito a pessoas mais velhas, é mais da minha idade mas tenho olhos na cara e sei ver que há pessoas que parece que o tempo não passou por elas, tanto homens como mulheres. o cloney é um bom exemplo xD
    abc

    ResponderEliminar
  4. Concordo com absolutamente tudo !

    ResponderEliminar
  5. De uma forma geral sou obrigado a concordar contigo. Apesar de haver exceções, com pessoas mais velhas sem qualquer estabilidade naquelas cabeças e sem qualquer cultura. O P foi o meu primeiro namorado mais novo que eu, e durante muito tempo esse foi mesmo um entrave interior que tive de ultrapassar. Igualmente tão importante como o que se passa dentro da cama é o que se passa à mesa. Quero dizer com isto que uma pessoa que não tenha arcaboiço cultural para contra-argumentar comigo não me dá estímulo. Eu adoro fazer de 'advogado do diabo', defender a tese do contra até esgotar todos os argumentos, e se não for alguém que me dê luta costumo dizer que 'tem a camioneta pequena para a minha areia'.
    Apenas na parte monetária estou um pouco mais em desacordo. O dinheiro, apesar de importante, não pode ocupar a posição principal. É algo que se aprende com o tempo, e com as experiências que se vão tendo. Foi assim que eu aprendi, e nunca fui tão feliz como o sou hoje. :-)

    ResponderEliminar
  6. Pois, eu sei que sou bastante imaturo... (: Ainda tenho muito para aprender, daí gostar de homens mais velhos. ;)

    ResponderEliminar
  7. Eu nao curto homens maduros, nada contra, ms eles não mexem com minha libido...
    Apesar de que há alguns sarados que nem aparentam ter certa idade...
    Forte abraço!

    ResponderEliminar
  8. Olá tudo bem?
    Criei mais um blog, algo interativo, onde haverá perguntas de todos os gêneros...
    Entre lá e de uma espiadinha.
    Caso sinta interesse em responder, será prazeroso ler suas respostas.
    Forte abraço!

    http://enquetboquete.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  9. Oi Ro Fers. Vou ver, sim, e seguirei com todo o prazer o seu novo espaço. (:

    Abraço. ^^

    ResponderEliminar
  10. hummmm....a digerir...a concordar e a discordar...

    na vida há tempo para tudo, ser criança, infantil, adolescente, responsável, maduro...e por mim falo, nem sempre os mais velhos têm o mais importante, experiência emocional de vida.

    Um dia vamos conversar no Pavilhão Chinês sobre as novas alterações laborais, legitimidade da intervenção na líbia, mas depois vamos po bairro alto beber mojitos e apreciar coisas giras de se verem...sem deixarmos de ser maduros, sem deixarmos de ser jovens. :-)

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)