3 de abril de 2011

Não Deixes Para Tão Longe


Como se o amanhã fosse perto. Como se tivéssemos todo o tempo disponível. Como se fôssemos como os outros. Como se o sol brilhasse de igual forma. Como se os dias tivessem a mesma cor. Como se o olhar fosse semelhante. Como se estivesses aqui. Como se o chegar fosse fácil. Como se não quisesse o que penso. Como se te pudesse tocar da mesma forma. Como se a distância não fosse longe demais. Como se me visses com outros olhos. Como se risse com prazer. Como se me pegasses ao colo. Como se me protegesses do mal do mundo. Como se fosses a luz das minhas manhãs...
Como se pudesse ser quem sou. Como se pudesse correr de igual forma. Como se a respiração não ficasse presa na garganta. Como se pudesse caminhar em paz. Como se fosse indiferente para o mundo. Como se estivesse contigo. Como se me quisesses dessa forma. Como se soubesse para onde vou. Como se esperasse por ti. Como se esperasse por alguém. Como se a inocência ficasse para sempre.
Como se os sonhos fossem mais fortes. Como se a esperança fosse a última a morrer. Como se o cansaço não me tomasse. Como se vivesse de novo. Como se não perdesse nada.
Como se as noites fossem menos longas. Como se o choro não se soltasse. Como se o medo não espreitasse. Como se o silêncio não magoasse. Como se o tempo não existisse.
Como se fosse fácil dizer que te amo.
Como se fosse fácil ser feliz.

7 comentários:

  1. As duas palavras que queria mencionar não existem em português... A primeira, refere-se ao texto, tanto ao significado como à forma como está escrito:
    jaw-dropping
    E a segunda, refere-se à forma como me senti depois de ler isto:
    speachless

    Por isso, espero que me deixes tomar a liberdade de usar estas palavras inglesas, ambas no seu sentido positivo, para descrever de forma mais fiel, relativamente à língua portuguesa, a forma como realmente me senti ao ler este post. Este é um daqueles raros e memoráveis momentos em que a minha língua materna me deixa ficar mal e tenho de recorrer à minha segunda língua...

    P.S. Pensando melhor... "jaw-dropping" pode ser substituído por "de fazer cair o queixo" e "speachless" por "sem palavras"... Mas não me soam tão bem como o inglês... São expressões demasiado longas para algo que noutra língua está tão resumido e tem o mesmo significado... x) É por causa disso que livros como Eragon e Harry Potter, na versão portuguesa têm peso de tijolos, e na inglesa são livros de bolso -.-'... Estou a divagar, vou acabar o comentário por aqui. Ótimo texto :P Cheers.

    ResponderEliminar
  2. Está mesmo muito bom Mark, gostei mesmo muito deste texto. Parece-me triste e ao mesmo tempo muito dramático e depois é a forma como ordenas as palavras, sei lá..
    forte abc

    ResponderEliminar
  3. Sem dúvida, Mark, como já te disse, tens um dom! :)
    Está lindo ^^

    Maior Abraço, K.

    ResponderEliminar
  4. Pura poesia em forma de prosa!

    ResponderEliminar
  5. Adorei o comentário do Ragdoll!
    Este post está mesmo espectacular...
    Como se eu não fosse gostar!
    Beijinhos grandes!

    ResponderEliminar
  6. A mim soou-me demasiado triste! É assim? É um estado de espírito?
    Espero que não, ou se era, que já tenha passado!

    Abraço,
    Ikki

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)