28 de março de 2011

Troca de Experiências...


A situação que aconteceu hoje, na faculdade, não deixa de ser insólita, apesar de não ser propriamente uma novidade. A boa - boa - novidade é que, pela primeiríssima vez, baldei-me a uma aula. Considero uma boa novidade? Que tristeza... É preciso chegar ao Ensino Superior para baldar-me a uma aula. Sabem, eu sou muito certinho em determinadas matérias. Em algumas sou mesmo pragmático. Uma das minhas (melhores) características é o facto de ser muito responsável. Compromissos são compromissos e se estou na faculdade, onde os pais gastam tanto dinheiro, é para estudar, tirar boas notas e ser, de futuro, uma alta individualidade do nosso país. Por enquanto, contento-me em ser dos melhores por lá. :)
Conseguiram me seduzir e lá me levaram para o (péssimo) bar universitário, cheio de cerveja ronhosa e cheiro impregnado de fritos. Como já vos disse uma vez, na faculdade estamos "divididos", e coloco entre  aspas porque é uma divisão simbólica, em grupos. Bom, já no liceu é assim e quem estuda sabe do que falo. Há sempre os chamados grupinhos. É inevitável! O meu, vá lá, grupo, é aquele que é considerado como o «clube dos tios do primeiro ano». Enfim, partilhamos gostos e interesses recíprocos. Todavia, há lá alguns que se andam a aproximar e, aos poucos, vão influenciando certos membros do nosso grupinho.. Hoje tive a plena confirmação dessas nefastas influências...
Convenceram-nos a ir ao bar universitário mais horroroso, faltando à aula, e o que se segue quase que me traumatizou... Esses alguns, dos quais falei em cima, são do pior. Bebem cerveja como quem bebe água, falam alto, dizem milhentas asneiras, comem de uma forma grosseira, arrotam - sim, arrotam alto! - entre variadas e indescritíveis coisas... Foi uma hora para esquecer. Claro que não bebi - sou abstémio convicto - e pouco falei, mas estar naquele ambiente não me agradou nem um pouco. Para piorar, algumas das minhas colegas, apesar de parecerem outra coisa, renderam-se completamente àquele ambiente pouco sadio... Algumas, nunca pensei!... Bem diz o povo que as que «não partem um prato, partem a louça toda...».
Escapei eu e mais alguns. Uma razia total. Até fiquei agoniado com tanta baixeza! Nunca ouvi tanto palavrão em toda a minha vida...
Nem será preciso referir que o R. estava nas suas sete quintas, de tal modo que me deu uma palmada nas costas e disse-me:
- "Diverte-te, pá!"
Sublinho o "pá", que considero de extrema importância...
Tive a minha dose de convivência com as massas para todo o ano!

14 comentários:

  1. Mark, cada um é para o que nasceu. Seguir o rebanho é algo que tem de morrer no secundário. Quem não enterra, acaba a beber cerveja no bar da faculdade.

    ResponderEliminar
  2. Ai, meu querido Mark
    rio a bom rir com a tua "aventura", eheheheh!

    ResponderEliminar
  3. Entendo-te...
    Como te entendo. Mas assim vais conhecendo a "diversidade" de pessoas neste nosso mundo e, estranhamente, a receber formação superior.

    Big hug.

    ResponderEliminar
  4. LOL já te consigo imaginar com ar de enjoado no meio deles

    ResponderEliminar
  5. Mark,
    A universidade é, antes de tudo,um rito de passagem. Deixamos de ser adolescente para nos tornarmos adultos. Essa é a principal característica dessa fase das nossas vidas.
    Por isso, não se "preocupe" tanto com os estudos. Preocupe-se mais com o fato de que, ao final da faculdade serás um homem com todos os inconvenientes que isso trás.
    Por agora, carpe diem!
    E, aproveitando, não falaste nada da geração à rasca. E a visita da Dilma, qual sua impressão?
    Abraços
    Marcelo B. Pires.

    ResponderEliminar
  6. Pois o ambiente academico tem destas coisas ;)

    ResponderEliminar
  7. A tua pseudo-superioridade faz-me rir, no sentido que estas histórias de tão caricatas que são, desencadeiam a imaginação, de quem se torna teu leitor, para alcançarem o seu apogeu.
    Tirando esse palavreado todo, não consigo deixar de sentir uma afeição grande por ti (ou pelo menos daquilo que transpareces ser neste blog) e pelas tuas histórias.
    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  8. Speedy: Exato. Concordo inteiramente. Mas, infelizmente, as pessoas são as mesmas seja no Secundário ou na Universidade... :S

    Pinguim: Pois, chega a ser engraçado. Realmente, se não tivesse acontecido comigo até era capaz de rir um pouco, isto vendo "de fora"... :)

    Paulo: De facto, temos de conhecer um pouco de tudo e, no meu caso, uma vez que quero seguir a magistratura, vou lidar com pessoas de várias personalidades e formas de estar...
    Abraço. ^^

    Miguel: É, para mais não consigo dissimular... LOL Nota-se bem nas minhas expressões faciais.

    Marcelo: A minha impressão sobre a visita da Dilma é positiva, mesmo não estando a acompanhar de perto todos os desenvolvimentos desta visita oficial. Porém, acho muito benéfico este estreitar de laços entre o querido irmão Brasil e o "mano" mais velho, Portugal. :) Ambos têm a ganhar, embora, neste momento, Portugal precise mais do Brasil do que o contrário.
    É mesmo verdade, Portugal está muito mal... :S
    Abraços.

    O meu ritmo: Tudo tem o lado bom e o mau. É a cara e a coroa da mesma moeda. ^^

    Sapo: Meu caro Sapo, eu não me considero superior seja a quem for, se é que te referes à parte em que destaco que sou "dos melhores por lá". As minhas notas falam por si. De resto, tenho defeitos e qualidades como todos nós.
    O que eu transpareço no blogue é aquilo que sou. Sem tirar nem por. Um pouco elitista? Nunca o neguei.
    Será impressão minha ou desde que comentas o meu blogue (há dois dias, LOL) dás "uma no cravo e outra na ferradura"? PARECE-ME!
    Obrigado pela afeição.
    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  9. As tuas aventuras deixam-me sempre de bom humor! Só mesmo tu, genuíno na tua forma de ser.
    Mas a parte que gostei mais foi a referência ao R. e o facto de aquilo que escreveste parecer mesmo coisa de casal de namorados!
    "Sublinho o "pá", que considero de extrema importância...", esta passagem fez-me mandar uma gargalhada que ecoou aqui pela casa! Quase que te consigo imaginar a dizer isto.
    Parece-me que vocês foram feitos um para o outro, de tão antagónicos que são! Pena que não te pareça que vá dar! :S

    Abraço,
    Ikki

    ResponderEliminar
  10. Ikki: Somos totalmente diferentes. Mas, sabes, acho que o R. faz certas coisas sabendo de antemão que me chateia. LOL É quase uma forma de se "meter" comigo. Chega a parecer aquelas brincadeiras que os rapazes fazem às raparigas no liceu. :)
    Bem, só espero que a tua gargalhada não tenha acordado ninguém. :D
    Abraço.

    ResponderEliminar
  11. Kisses and Hugs, no CRAVO ou na FERRADURA. É à escolha do freguês :)

    ResponderEliminar
  12. Enfim, cada um tem os seus vícios!

    ResponderEliminar
  13. Depois de ler este post fiquei um bocado triste. Começo a recear que vocês sejam demasiado antagónicos. É a minha opinião, naturalmente, Mark, mas o que leio leva-me a imaginar mais incompatibilidades do que pontos em comum. Por outro lado, anima-me saber que apesar das diferenças há um esforço da parte dele (e da tua também) em cultivar uma amizade. :-)

    ResponderEliminar
  14. Coelhinho: Temos várias incompatibilidades, é verdade. Mas, como referiste, há um esforço para que a amizade - pelo menos isso! - se mantenha. Falo por mim, claro; ele falará por ele. :)
    Abraço.

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)