17 de março de 2011

Páginas de Um Diário (16 de Março de 2001)


"Olá querido diário, tudo bem? Comigo está tudo bem e espero que contigo também. Hoje o dia no colégio foi muito giro. As aulas não foram muitas giras mas giro foi o tempo que passei com o Fábio. Ele hoje estava tão mágico. Gostei mesmo de o ver. Ele hoje foi mais querido para mim e deu-me mais atenção. Lembras-te que no outro dia contei-te que ele não tirava os olhos da Ana Margarida e isso pôs-me furioso. Falaram todo o dia e até os vi na escada a falarem assim como se fossem namorados. Odeio-a tanto!!! Ela é uma estúpida, odeio-a, odeio-a, odeio-a. Tem a mania que é bonita mas é feia e eles só gostam dela porque ela é loira e tem os olhos claros mas eu odeio-a. E ela também é burra porque teve negativa a Matemática. AHAHAHAHAHA Mas eu acho que o Fábio gosta um bocado de mim porque ele apalpou-me no outro dia quando mais ninguém estava a ver e eu dei-lhe um beijo na cara e ele gostou porque eu perguntei se ele gostava e ele disse que sim. Ele não gosta é de fazer o mesmo que eu. Joga á bola e eu não ligo nada a isso. A Ana Margarida é uma estúpida. Eu apanhei flores num jardim no dia do passeio a Sintra e ela gozou comigo e disse que eu era uma menina mas eu sou rapaz só que gosto de flores. Amanhã vou falar com o Fábio e vou chamar a Ana Margarida de estúpida que é o que ela é e agora vou jantar porque a mãe está a chamar-me para descer.
Beijinhos
Amo-te muito M."

Como já o referi, escrevi durante muitos anos num diário, ou, para ser mais rigoroso, em vários, uma vez que, devido à escrita ser quase diária, comprei vários "diários" ao longo do tempo.
Esta página do meu diário remete-me a 2001. Enfim, não deixo de recordar esta época com nostalgia, mas também com um sentimento de profunda ingenuidade como é facilmente verificável. Era mesmo criancinha inocente e mimada.
Decidi publicar esta página do diário e irei fazê-lo regularmente. Não alterei uma única vírgula do texto ou uma única palavra. Limitei-me a transcrever tal e qual como o escrevi há dez anos atrás. Só assim manterei a pureza do texto. Tal como o passado é inalterável, assim o é em todas as suas vertentes.
Perdoem a inocência. :)

8 comentários:

  1. ah, lindo. adorei. que idade tinhas na altura? Imagino que... 11?

    ResponderEliminar
  2. Que lindo!
    Que pureza e ingenuidade mesmo! :)

    ResponderEliminar
  3. Está fofo e de facto nota-se bem a ingenuidade típica de uma criança.

    ResponderEliminar
  4. Apesar de o texto soar ligeiramente "mimado", está muito giro!
    Muito inocente, pelo que muito genuíno.
    Abraço,
    Ikki

    ResponderEliminar
  5. Embora muito "acriançado", já se notam alguns aspectos da tua maneira de ser.

    ResponderEliminar
  6. Acho que o mais curioso é ver os aspectos em que mudaste. Não é por nada, mas agora escreves muito melhor! ;-)

    ResponderEliminar
  7. Gostei da tua ideia de transcrever o teu diário, ou partes dele, para o teu blog. Posso copiar a idea? ;)

    Abraço! *

    ResponderEliminar
  8. Adorei a forma cristalina como já em pequenino, descrevias o teu dia a dia! ^^

    Um momento de ternura! :3

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)