21 de janeiro de 2011

Maturidade


A maturidade é uma das qualidades que mais aprecio numa pessoa, talvez porque não abunde significativamente em mim. Sim, embora aparente ser uma pessoa madura, a verdade é que me sinto bastante imaturo. Não confundamos imaturidade com irresponsabilidade. Não sou, evidentemente, irresponsável. Sou imaturo. Mas a minha imaturidade convive com alguma maturidade que possa ter e que se manifesta em variadas ocasiões. Bom, os rapazes tendem a ser mais imaturos do que as raparigas e eu constato isso todos os dias. Sou bastante mais imaturo nas conversas do que grande parte dos meus colegas e amigos, embora principalmente dos meus colegas. Eles conseguem ter conversas sérias e eu muito frequentemente disperso o meu pensamento com frivolidades insignificantes. Muitos, que vêm de longe, preocupam-se com prestações a pagar, contas e aqueles problemas do quotidiano. Mesmo os de cá, preocupam-se com assuntos sérios, adultos e maduros. Eu não. Não me preocupo com nada, nada me tira uma noite de sono, no fundo, nada de faz pensar, logo, nada me faz crescer.
Talvez seja por estes motivos que sempre tive tendência a gostar de pessoas mais maduras, não signifique isto mais velhas. Pessoas mais responsáveis, pessoas que soubessem cuidar de mim. Sou muito leviano. Gosto de correr pela vida e vê-la a correr por mim. Gosto de rir, brincar, gargalhar, falar de assuntos que não despertam o mínimo interesse nas pessoas maduras. Mas gosto de ter quem me diga "agora chega". Acho que projecto numa relação amorosa a estabilidade que necessito de um pai, um pai que me diga o certo e o errado. O pai, apesar de ter sido presente, nunca me colocou muitas regras. A mãe sempre assumiu mais esse papel. Projecto, então, esse papel masculino numa pessoa.
Daí o gostar do R., apesar de nada termos em comum (ele é a tal figura). É a parte madura que me completa.
Se vocês me pudessem conhecer, veriam o quão imaturo sou. Talvez porque nunca nada me faltou, talvez. Porventura, ficariam surpreendidos no como eu posso ser maduro quando as situações assim o exigem. É um paradoxo de personalidade irrepreensível. Aí estará o que me distingue de uma larga maioria. A capacidade que eu tenho de guardar em mim o mais infantil e o mais responsável.
Parafraseando a avó: "Sou uma criança que fala de assuntos de gente crescida como ninguém."

5 comentários:

  1. Já perguntei a mim próprio, várias vezes, qual a razão pela qual, sendo eu, na maior parte das coisas, o contrário de ti (não falo em qualidades e defeitos, mas sim na maneira de estar na vida), eu te admito tanto?
    Por vezes chega a chocar-me a "frivolidade" com que abordas as facilidades com que a Vida te presenteou! Mas por outro, e porque gosto muito de ti, preocupa-me se estarás para as adversidades que a vida acaba sempre por nos trazer.
    Mas, a razão primeira e fundamental do facto de gostar muito de ti, é tu seres talvez, em toda a blogosfera (que eu conheço), a pessoa que mais se auto-critica, mas não por sentires necessidade disso; apenas porque és "assim"!!!!
    A última coisa que tu serás é hipócrita e isso é uma bela qualidade.
    Quem te conhece e goste de ti, sabe com o que conta e portanto terás tendência a teres bons amigos, e nunca falsos amigos.
    Conta comigo!!!!

    ResponderEliminar
  2. Cada um vive do seu jeito em busca da felicidade....
    Pelo que entendi mesmo tu se considerando imaturo, tu é feliz, e isso que importa...
    Forte abraço

    ResponderEliminar
  3. no seguimento do que o Pinguim disse, uma das qualidades que mais aprecio nas pessoas ´e a capacidade de auto-analise. O reconhecer dos nossos limites e potencialidades ´e meio caminho andado para uma vida cheia. Mas eu ate gosto da tua frivolidade... lembras-me uma namorada minha eheh

    ResponderEliminar
  4. É, Speedy, a minha frivolidade é muito feminina. :)



    lots of love para todos. ^^

    ResponderEliminar
  5. Gostei muito deste post. Tods temos uma criança dentro de nós, que mais tarde ou mais cedo irá amadurecer, é a vida . A vida ensinarte-a, demore o tempo que demorar e custe oq ue custar, a amadurecer. Cada pessoa tem o seu tempo. Cada pessoa é uma pessoa. Cada pessoa tem o seu timing meu querido. E acredita que quando menos esperares vais perceber que secalhar náo és tao imaturo como pensas.

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)