22 de novembro de 2010

Uma e Uma Vez Mais


Uma e uma vez mais surgiste-me no pensamento nocturno. Desejei não sonhar contigo, não sentir a tua presença no meu descanso. Contudo, os meus desejos acordados não exprimem as minhas vontades reais. Esta noite voltei a sonhar contigo. E sonhei que me tomavas nos teus braços e me levavas para dentro do teu mundo secreto. Sonhei que pegavas na minha mão e orientavas o meu caminho. A luz silenciosa do meu quarto propicia a invasão perpetrada dos meus desejos na minha mente que oscila entre o inocente e o selvagem. Durmo, assim, qual anjo amistoso, segundo o que me contam. Está na altura de substituir o meu ursinho gigante por ti.
Mais uma vez lançaste o teu olhar mundano sobre a minha pele alva e delicada. Mais uma vez senti o aroma do teu corpo distante sob a roupa. Mais uma vez senti a tua atitude rebelde em mim. Mais uma vez disfarcei o que sinto. Mais uma vez falei o que não queria, exprimi o que não acredito, olhei para o infinito.
Mais um dia que passou sem te beijar. Mais um dia que vivi sem te amar. Mais um dia que não te abracei, não te vivi, mas te sonhei.

5 comentários:

  1. mark, há muitas palavras e textos bonitos mas poucos conseguem fazer com as palavras o que tu fazes. parece magia.
    abc.

    ResponderEliminar
  2. Todos esperamos que os teus sonhos se transformem numa doce realidade.

    ResponderEliminar
  3. Está na hora de trocares esse ursinho. Nem quero imaginar os horrores pelos quais já o fizeste sofrer. Sabias que podes ir preso?

    ResponderEliminar
  4. :) Eu durmo com um animal de pelúcia/peluche desde pequenino e não tenho vergonha de o dizer. Durmo agarradinho a ele para me sentir protegido. Neste momento, tenho um ursinho gigante cor de pérola. É infantil? Talvez... Mas este sou eu, incrivelmente único e irrepetível. :)

    ResponderEliminar
  5. Já era bem altura de o trocares por um R... ;-)

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)