19 de agosto de 2010

Não Te Quis Perder



Não, eu sei que a culpa não foi minha. Se ambos errámos, a maior parte da culpa foi inteiramente tua. Podia ter dado certo. O principal existia. Estávamos preparados para desafios e aventuras arriscadas, vivências que preenchem o espaço vazio e criam momentos propícios à paz e à tranquilidade.
Hoje, olho o mar e penso em que parte falhaste tu. A justificação que não recebi, procuro-a eu, olhando para todos os cantos do espaço sideral. Podias estar aqui, a meu lado, vendo o que eu vejo, vivendo o que vivo, sonhando o que eu sonho. Estarás num outro lugar, numa outra companhia, longe da minha vista mas não do meu coração. Os ditados populares desconhecem as forças superiores ao conhecimento humano. Bobo, quem pensou que as razões da lógica conhecem as do coração. Estas últimas escapam ao alcance da compreensão racional e metódica. Porventura, quanto mais longe, mais perto. És mais paradoxal do que poderias imaginar, não é verdade? Existem capacidades desconhecidas em cada um de nós. A tua, é a de transformar a distância numa perturbadora presença.
Não te quis perder dessa forma tão ridícula e rápida. Resta um vazio em teu lugar. Abre bem os olhos e vê a pessoa que és. Enfrenta essa realidade. Tens defeitos, muitos.
Já te perdi uma vez. Voltei a encontrar-te para te voltar a perder. Nada mais direi. Neste momento estás em mim. Não te quero perder agora.

7 comentários:

  1. A distância pode fortalecer uma relação, ou intensificar um sentimento destroçado de que algo acabou.
    Já se dizia que o tempo cura feridas do coração...

    ResponderEliminar
  2. É, varia de pessoa para pessoa. Há dores que atenuam com o tempo, mas continuam vivas. Isto sou eu e as minhas dissertações. :)

    ResponderEliminar
  3. Oh, é verdade... Mais provérbios?
    A primeira ferida é a mais profunda. Gostaste? Eu aprovo este provérbio há vários anos... ;)

    ResponderEliminar
  4. Não conhecia. :) Mas faz sentido, muito sentido. A primeira dor é sempre a pior...
    Gostei. :)

    ResponderEliminar
  5. oh gostei do texto.. :P
    obrigada por seguires..

    p.s: só um comentario ao proverbio dos comentarios:
    depende muito da perspectiva e da ferida que for... se a primeira ferida for mais pequena que a segunda, não é a primeira que doi mais... não??
    (desculpa meter-me na conversa.. =S)

    ResponderEliminar
  6. Sim, Pi**. :) Se a segunda ferida for maior que a primeira, talvez a dor seja maior também; no entanto, na segunda ferida já temos mais experiência em lidar com essa dor. Acho que a primeira ferida apanha-nos desprevenidos. ;)

    ResponderEliminar
  7. Era um proverbio alusivo ao primeiro amor lembrado para sempre. :)

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)