16 de julho de 2010

I Could Be Your Boyfriend



Transpareces felicidade, mas tudo não passa de mais uma fachada. No fundo, todos somos substituíveis até um certo dia. Acaba sempre por chegar uma altura em que a vontade de estarmos perto daquela pessoa regressa. Ninguém nos dá tanta felicidade, ninguém nos acaricia da mesma forma. Tudo é diferente.
Eu podia ser o teu namorado. Esse namorado que te adoraria, te idolatraria à medida em que o tempo passava. Com toda a certeza, serias mais feliz do que agora, com essa coisinha desclassificada que te acompanha para todo o lado. Não consigo compreender o que passou pela tua cabeça ao namorares uma pessoa assim, sem sal, sem sabor, sem criatividade ou imaginação.
Ainda vejo como olhas para mim. Ainda sinto o calor do teu olhar que me desnuda a cada momento em que nos cruzamos. O desejo é visível. Sinto-o quando mordo o meu lábio à tua passagem, quando sinto o desejo a crescer em ti. Sabes que mais, fazem um péssimo retrato. Parece uma cena de terror, mas daqueles filmes de baixo orçamento, em que a actriz principal foi substituída por uma figurante que cobra um baixo cachet. Todavia, não sei se mereces muito melhor. No fundo, no fundo, «sou muita areia para o teu camiãozinho». Esse travo a mediocridade que sempre te acompanhou causou-me sentimentos contraditórios: por um lado, atraía-me; pelo outro, repugnava-me. Creio que o desafio de te moldar um pouco mais a mim é uma das principais respostas às minhas não menores dúvidas.
No entanto, I could be your boyfriend. Aquele namorado meloso que divide as pipocas contigo, que te dá a mãozinha quando atravessa a estrada, que te dá carinho que nem uma mãezinha dedicada e que compra chupa-chupas fantásticos na Hussel para saborear contigo. Aquele namorado apaixonado, pateta e fútil, que gosta de futebol (se possível do teu clube...) e que sente o fumo do teu cigarro como se fosse o Chanel nº 5 da mãe. E não é que conseguia fazer isso tudo? Darling, eu imprimo classe em todas as minhas acções e em tudo aquilo a que me dedico. Tornava a coisinha numa coisa passada e esquecível como todas as lembranças desagradáveis.
Até mereces melhor do que tens.
E eu mereço bem melhor do que tu.

4 comentários:

  1. Realmente, todos nós estamos a precisar de férias...
    E quanto a namorados, se fizesses tu isso a uma rapariga, acredita que ela seria muito feliz x)

    ResponderEliminar
  2. Hummmm, vai aí alguma carga de ciumeira, ou estarei enganado?

    ResponderEliminar
  3. Não, não estás. Tenho ciúmes, é verdade... Por vezes, não o quero assumir. :)

    ResponderEliminar
  4. sim senhor,Mark,gostei! este texto não terá uma pitada de raiva?
    "e eu mereço bem melhor que tu",então segue,sê forte!

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)