27 de junho de 2010

Primeiro Arraial



Ontem, fui ao meu primeiro arraial no Terreiro do Paço. Logo que soube desse evento, decidi ir. Nunca tinha ido a um arraial, nem gay, nem hetero. Como já o disse várias vezes, sou um pouco avesso a tudo o que é popular, porém, achei que seria divertido.
Convidei a Só que, apesar de heterossexual, é a única amiga suficientemente cool, divertida e desinibida capaz de ir a um evento deste género. É evidente que as outras amigas que tenho também são liberais e divertidas, no entanto, digamos, são demasiadamente elitistas para participarem nestas cerimónias. Ou seja, são tias. Há uns dias atrás, quando fui ao almoço de Santo António, combinei sair um destes dias para um sítio diferente de tudo aquilo a que estou habituado. Com mais emoção e com maior proximidade com as pessoas comuns. Foi a oportunidade esperada. A Só é o oposto de mim. Eu sou mais mimado, elitista e pacato; ela é mais espontânea e sabe relacionar-se com todo o tipo de pessoas.
Fomos de metropolitano até ao Rossio e descemos a Rua Augusta. Quando chegámos, já eram umas 22 horas, o ambiente era divertido (o que seria de esperar) e bastante animado. A praça tinha umas tendas onde estavam alojadas várias organizações e bares. O ambiente não tinha os preconceitos normais que costumam existir no dia-a-dia. É importante referir que, como espaço aberto que é, qualquer simpatizante podia participar e eu cheguei a ver alguns namorados comuns (homem e mulher), o que demonstra a normalidade destes eventos, retirando aquele estigma ridículo de too gay.
Não estivemos muito tempo, até porque estávamos sozinhos. A Só bebeu uma cerveja e eu um sumo. Acho que nunca o referi, mas sou abstémio convicto. Fomos alvos de alguns olhares, talvez pelo facto de estarmos sozinhos. Alguns terão pensado: "Mais um gay e uma lésbica...". No entanto, o rapaz que nos serviu pensava que éramos namorados, vejam só! Será que somos assim tão discretos? Só consigo arranjar uma explicação: a nossa profunda sintonia mascara-se de amor perante as outras pessoas.
Foi engraçado, na medida em que conheci um arraial. Fui mais por esse facto. Apeteceu-me algo mais popular, fora do meu contexto habitual e rotineiro. Deve ser incomensuravelmente mais divertido para quem está habituado a este tipo de festejos, sejam gays ou comuns. Eu não estou, mas suscitou e aguçou (ainda) mais a minha curiosidade.



PS: Também dançámos e brincámos. Foi um serão diferente. xD

8 comentários:

  1. Tu também és um bocado tio, não? :P

    Ainda bem que te divertiste! Acho que isso e o propósito da coisa!

    ResponderEliminar
  2. Adorava ter ido, mas porque não estava em Lisboa e porque não tinha companhia...

    Aparece no nosso espaço: http://pontododesenrasque.blogspot.com/

    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Sou, Angelo, confesso, mas só um pouquinho. :P
    Diverti-me, sim. É tão normal. Se as pessoas soubessem, não tinham tantos preconceitos. :)

    Fernanda, vou já ver esse cantinho.
    Beijinho. :)

    ResponderEliminar
  4. Também gostava imenso de ter ido, mas moro um pouco longe de lisboa, infelizmente.

    Remember me? ;)

    ResponderEliminar
  5. Se é só um bocadinho, não faz mal. E agora que te estreaste nas coisas mundanas, não vais querer mais nada!

    ResponderEliminar
  6. Foi uma estreia, praticamente, tens toda a razão. Vou controlar as vontades que, porventura, teimem em aparecer. :)

    ResponderEliminar
  7. Fizeste bem em ir; é bom conhecer um pouco de vários ambientes e este até é bastante diversificado; eu também passei por lá para rever amigos pois que há muito deixei de frequentares locais nocturnos gay.

    ResponderEliminar
  8. Aquele ambiente é mesmo muito diversificado. Há de tudo. :) E, como disseste, é bom conhecer um pouco de tudo. :P

    Um abraço.

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)