15 de maio de 2010

Não digas nada porque faz doer...

És selvagem como a maré nua, despido de pudor e de medo. Vives a vida intensamente. Para ti, o dia de amanhã não existe. Hoje pode ser o último dia das nossas vidas. Como tu sabes isso...
Vejo-te com o teu cigarro frio, expelindo um fumo gelado que me arrefece a alma, encostado a essa parede que desejo que desabe de uma vez. O teu cabelo louro a pedir o meu afago, a tua boca a implorar o meu beijo, os teus olhos a exigirem a minha presença. Tens o meu mundo entre os teus dedos. Gira sobre ti de uma forma inconsciente e metódica. Somos diferentes, absolutamente diferentes. Não há nada que possa mudar esse facto. Seguiste um caminho que desejei seguir a teu lado. Quero a tua irresponsabilidade em mim. Quero conhecer mais do que apenas o meu mundo que também foi o teu. Não o quebres, por favor. Garanto-te que irei voltar a ele. Oh, como me arrependo de quando querias pegar na minha mão e levar-me a passear contigo naquele último dia. Tenho saudades da tarde que não tivemos, do gelado que não comi, do vento que não passou pelo meu cabelo. Hoje não estás aqui. Olho a janela e imagino-te em outros braços.
Não digas nada. Não digas que não o sentes. Não digas o seu nome. Não é verdade que já não gostas de mim. Não me expliques nada mais.
Não digas nada, acalma-me apenas. Não digas que não o sentes, acalma-me apenas.
Não digas nada porque faz doer.

4 comentários:

  1. Se este texto não foi um ensaio literário, devo dizer-lhe que não sofra meu caro Mark!
    Pense em Deus quando momentos de fraqueza como estes o assolam.
    Precisa de conversar? Venha deixar umas palavras no meu espaço.

    Visite, comente e não deixe Jesus descontente!

    ResponderEliminar
  2. Como te percebo =S
    Tenta acalmar o que sentes. Assim já não vai doer tanto...

    PS: Inspiras!

    ResponderEliminar
  3. Também o silêncio às vezes dói mais que certas palavras.
    Normalmente magoamos as pessoas de quem mais gostamos, por estarem ao nosso lado e por muito que os magoemos, não nos abandonam.

    ResponderEliminar
  4. É na constatação do passado, mesmo que por vezes algo negativa, que ganhamos a força e experiência necessárias para enfrentar o futuro...

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)