30 de março de 2010

Igreja Católica - Heresias

Recentemente, a Igreja Católica Apostólica Romana viu-se envolvida em mais uma polémica, desta vez relacionada com o abuso sexual de crianças. Estávamos perante a "ponta do iceberg". De alguns casos em países específicos, foram-se desvendando caso por caso, abuso por abuso, alguns dos quais já com nomes portugueses na Comunicação Social. Que sempre existiram abusos dentro dessa instituição e que sempre foram silenciados não é novidade alguma. A grande novidade é o alegado envolvimento da figura máxima da hierarquia católica neste silenciamento, o Papa Bento XVI. Segundo os media, o Cardeal Ratzinger terá sido permissivo com um padre americano acusado de violar crianças surdas de 1950 a 1974. Ficando devidamente provada, esta atitude constitui um crime gravíssimo.
Mais uma vez, a Igreja Católica peca por hipocrisia e por desrespeito para com quem devia proteger, ou seja, as crianças que estão sob a sua responsabilidade. É manifestamente sabido que, em todas as épocas e em todos os lugares, existiram e existem padres com preferências sexuais por crianças. Estes padres têm de ser devidamente investigados e punidos. Existe demasiada permissividade da sociedade relativamente a estes indivíduos. A fé cega torna as pessoas indiferentes ao que sucede nas suas paróquias. A visão do padre bom, homem santo e intocável tem de acabar. Não se tratam de homens santos, mas sim de homens, muitos dos quais criminosos e que devem ser julgados e, se for caso disso, condenados exemplarmente. A Igreja Católica pode - e deve - ser criticada. Existe uma separação constitucional entre o Estado e a Igreja, apesar da célebre Concordata. Há questões que se devem sobrepor à fé numa determinada religião ou instituição religiosa. São as questões de consciência e de moralidade. Existem pessoas boas e más em todas as confissões religiosas, e a Igreja Católica não é excepção. Estes escândalos sexuais só vêm denegrir mais a imagem de uma instituição que há muito demonstra a sua progressiva e inevitável decadência.

Imagem - Auto-de-Fé da Igreja Católica (1683)

1 comentário:

  1. É isto mesmo!
    E é muito triste como a Igreja protege esta gentalha quando a devia punir exemplarmente!

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)