5 de março de 2010

Fuga de Si

Ontem, durante o jantar, expus a situação do tal "amigo" à mãe. Como era de esperar, também ela não aceitou que ele viesse cá para casa, com uma diferença; eu pensava que o motivo seria de outra ordem, porém, a mãe disse que não aceitava simplesmente porque não podia compactuar com esse preconceito ridículo. Disse, e com razão, que ele não devia fugir, mas sim dar a cara, enfrentar a situação, afinal, não é ele que está errado. Os homofóbicos que o perseguem, esses sim, estão errados.
A mãe também perguntou a opinião da Lena e do Pedrinho (os meus irmãos que, apesar de já não viverem connosco, é-lhes sempre pedida a opinião...). Concordaram com ela e eu também acabei por concordar. É o lógico e o certo. Não é admissível que ele fuja da sua vida, enfim, de si próprio.
Hoje, apesar de ter ficado de lhe dar uma resposta há uns dias atrás, telefonei-lhe e disse-lhe o que tínhamos concordado. Ele compreendeu mas, de qualquer forma, está decidido a vir para Lisboa. Predispus-me a ajudá-lo a encontrar um sítio digno para ficar e, provavelmente, um emprego. Chega na quarta-feira. Combinei com ele de procurarmos um hotel ou pensão onde ele possa ficar. É a primeira vez que me sujeito a tal situação, mas é por uma boa causa...
Também soube, ontem, que a mãe amanhã vai dar um jantar cá em casa, em que vêm gestores, empresários, etc... Q'horror! :/ Quando são jantares com amigos é divertido, agora com os gestores... São todos homens de meia-idade (50, 60's...), chatos, convencidos e fumadores inveterados. Já estou a imaginar o cheiro dos charutos e os copos de whisky e brandy nas suas mãos... A mãe também não se faz de rogada, e bebe, fuma... E agora, que o meu adorado e muito estimado  padrasto está de viagem, imagino a festa... Haja paciência!
Bem que ela podia convidar alguns office-boys lá da empresa.. :) São simpáticos, divertidos, giros (alguns...)...
Pois, mas não têm dinheiro.
A palavra mágica que faz girar o mundo.
Infelizmente.

2 comentários:

  1. Quanto à primeira parte do post fizeste o que devias e vais fazer o que deves fazer.
    Quanto à segunda parte, mais uma vez adorei a simplicidade com que transmites as coisas do teu dia a dia, mas emitindo opiniões muito válidas.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Abraço, Pinguim.. :)
    E muitas felicidades com o Dèjan.. :)
    É bonito de se ver um amor como o vosso.

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)