5 de fevereiro de 2010

O Filho do Senhor Drº...

Às sextas não tenho aulas. Costumo ficar em casa a estudar, fazer trabalhos ou simplesmente a descansar. Hoje foi um bocado diferente. Levantei-me cedo (à mesma), porque precisava de acabar uma ficha de História (tenho teste na quarta ^^). De facto, só me faltavam quatro perguntas de nove, por isso não demorei muito tempo. A mãe hoje tirou um dia de descanso e combinámos ir dar uma volta. Acho que nunca o disse por aqui, mas os meus pais estão separados há quatro anos. Desde essa altura, a mãe voltou a casar com um homem horrível (em todos os sentidos), mas aquele casamento também já teve melhores dias...
Hoje, a mãe combinou sair comigo, com um senhor que, por acaso, é um empresário com o qual a empresa tem negócios e com os filhos dele. Depois de ter concluído a ficha, o senhor empresário veio buscar-nos a casa na sua carrinha de nove lugares. Não o conhecia. Bom, é um quarentão charmoso e supé educado. Mas, a melhor surpresa estava para vir. Um dos filhos tem cinco anos e é uma graça, um querido. E o outro... tem vinte anos e é, bom, incrível.
Sentei-me discretamente no carro e ele ficou ao meu lado. Cumprimentou-me com um aperto de mão e foi muito coloquial. Meti logo conversa, enquanto a mãe falava com o pai dele. Perguntei-lhe o nome... "Martim?, Ai, que nome fixe..." Soou um pouco indiscreto, mas não consegui evitar. Durante o caminho, começou a falar de f-u-t-e-b-o-l. Logo comigo, que não percebo nada (nem quero!) de semelhante coisa. É do Sporting.
Fomos a um restaurante fantástico em S. Pedro do Estoril. O srº Drº puxou a cadeirinha à mãe, e eu na esperança que o filho me fizesse o mesmo.. Lol Ficámos na frente um do outro. Ele tem perto de um 1,90 m. É altíssimo, mas encorpado. Soube, durante o almoço, que pratica desporto. Não fala muito, mas foi sempre simpático. Às vezes, olhava para ele a tentar descobrir uma pista, algo que me garantisse o que queria saber.
Soube, mais cedo do que pensava...
"Eu quis trazer a minha namorada, mas ela não pôde vir... ... "
Quase que engolia uma espinha do salmão. Fiquei assim com uma sensação de queda sem pára-quedas.
No fim do almoço, demos uma voltinha por aqueles lados. A mãe e o srº Drº na frente; eu, o Martim e o miúdo atrás. Eu a tentar meter conversa e o miúdo a interromper, o vento a despentear-me todo. Chegou uma altura em que fiquei para trás de todos. Parecia que estava a segurar a vela da mãe e do Drº e dos filhos do Drº...
No caminho para casa, no carro, trocámos os números de telemóvel, porque segundo o srº Drº, nós ainda vamos ser muito amigos. Convidou-nos, caso quiséssemos, para irmos à festa de aniversário do miúdo na semana que vem. Para além disso, o Martim está na faculdade e pode me dar explicações. Só me apeteceu dizer que não precisava! Quando chegámos, despedi-me do srº Drº, do miúdo e do filho-do-srº-Drº-futuro-srº-Drº.
A mãe, quando entrámos em casa, disse-me estar encantada com a educação do srº Drº e dos seus filhos. Disse-me para enviar uma mensagem ao Martim, de modo a estreitarmos amizade. Pior, disse que também vai à festa de aniversário e quer que eu vá.
Pelos vistos, para a semana, vou à casa do filho do srº Drº.

3 comentários:

  1. Ok, serão entregues, Angelo :)) Lol

    ResponderEliminar
  2. Adoro o blog !
    Passa no meu cantinho - http://rodrigobadromance.blogspot.com/ - e deixa um comentário , fico a espera

    Abraço , McFunny

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)