14 de janeiro de 2010

Haiti - A destruição

Choque, dor e emoção. São estas as palavras que conseguem transmitir um pouco o que senti ao ver as imagens da destruição que o Haiti sofreu. Depois da séria instabilidade política e social, das cheias e dos tufões, a população haitiana sofre mais este duro golpe. O pior sismo dos últimos 200 anos, aliado à pobreza extrema, resultou num cenário catastrófico com consequências ainda não totalmente avaliadas. Edifícios destruídos, incluindo hospitais, centros médicos e escolas; corpos pelo chão; crianças orfãs desprotegidas e sozinhas deambulando pelas ruas tristes e perigosas de Port-au-Prince; prisões que ruíram e colocaram todos os criminosos nas ruas, aumentando a criminalidade e os furtos e, por último, os incêndios que ameaçam levar o pouco que restou.
De louvar a prontidão da comunidade internacional na prestação dos primeiros e continuados socorros à população haitiana. Desde os Estados Unidos da América, passando pelo Brasil e até a China, muitos foram os países que colocaram os seus suportes materiais e logísticos à disposição do Haiti. Agora mais do que nunca, estes milhões de pessoas afectadas precisam de ajuda.
Pensar no Haiti é pensar num país muito pobre. 80 por cento da sua população vive abaixo do limiar da pobreza, com cerca de 1 euro por dia. As catástrofes naturais parecem racionais, ao ponto de escolherem onde irão causar dor e sofrimento. Se é verdade que nenhum país merece ser assolado por uma destruição assim, não é menos verdade que a grande maioria destes fenómenos da Natureza sucede nos países mais pobres do mundo, tornando-os assim bem mais pobres e necessitados.
Muito tempo será necessário para que o Haiti recupere desta tragédia, no entanto, era importante que os países mais ricos do mundo tirassem algumas lições deste terramoto. Com infra-estruturas adequadas, o Haiti poderia ter resistido de forma mais eficaz ao impacto fortíssimo deste sismo.
Os pensamentos e as preocupações mudam com o tempo. Espero que o Haiti não caia num esquecimento e isolamento previsíveis.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Um pouco da vossa magia... :)