9 de novembro de 2008

Palácio-Nacional de Mafra

Hoje, fiz uma viagem até Mafra que me levou a percorrer destinos, vidas e épocas... Sempre fui um apaixonado por História, e a vida e obra de um dos mais emblemáticos reis portugueses não me seria indiferente. D. João V, foi com todo o seu esplendor, o expoente máximo do Absolutismo em Portugal, como o podemos observar na sua obra de Mafra. "Copiando" o modelo francês do Rei-Sol Luís XIV, D. João V trouxe para um pequeno reino da Europa a sumptuosidade e ostentação jamais vistas, nem mesmo no reinado do Venturoso, D. Manuel I. As remessas de ouro brasileiro permitiram ao Magnânimo criar uma corte luxuosa e imponente. Nunca o rei Fidelíssimo poderia ficar aquém dos restantes monarcas. É importante salientar a destreza e perspicácia deste rei na encenação e jogos de poder. A construção do Palácio-Convento era também uma forma de mostrar o poderio e riquezas de Portugal. Inicialmente um convento para umas dezenas de frades franciscanos, o Palácio-Convento chegou a albergar mais de três centenas. É importante referir que a construção do Convento foi aconselhada ao rei pelos frades, de modo a que a rainha D. Maria Ana de Aústria tivesse a graça de Deus para conceber o tão desejado herdeiro. A construção do Palácio demoraria 33 anos, acabando no ano da morte do monarca (1750). A Igreja principal é sumptuosa, cujas paredes altas e verticais transmitem uma sensação de "peso". A cúpula, no alto, que tive a oportunidade de percorrer o corrimão, provoca vertigens aos mais ousados! A sonoridade e acústica da Igreja são impressionantes.
Já na parte do Palácio, visitei as salas e aposentos reais, incluíndo, a "retrete" da época que muito me intrigou, já que não era para banhos (a higiene era inexistente), mas sim para refrescar (termo da época, já que a água e o corpo eram vistos como algo impuro) o corpo. Tive a oportunidade de ir aos terraços que têm uma vista encantadora sobre todo o monumento e Mafra.
A magnífica biblioteca com mais de 40.000 livros é lindíssima. Todo o pó, (pouca) luminosidade e atmosfera envolvente produzem uma misticidade estranha e acolhedora.
Magnífico monumento, não deixo de aconselhar uma visita ao Palácio-Nacional de Mafra que é também uma visita ao mais carismático rei português, D. João V.

1 comentário:

  1. Já lá fui. Infelizmente, com determinados atrasos de uma certa pessoa, a visita foi a passo rápido. Não deu para aproveitar melhor a visita.
    A parte que mais gostei foi o facto de se dormir sentado para não quebrar a piruca que era feita com calda de açúcar.

    ResponderEliminar

Um pouco da vossa magia... :)