5 de junho de 2008

As doenças mentais têm cura!

Algumas espero que sim pois, de facto, podemos conviver com pessoas que, embora estejam manifestamente doentes, não podemos ter uma ideia do perigo que podem representar... Irei contar-vos um caso insólito; um rapaz aparentemente com problemas afectivos e emocionais, para além de alguns distúrbios no comportamento, era tido como uma pessoa, apesar de tudo, normal e aceite com as suas diferenças. No entanto, ninguém se apercebeu do potencial perigo que poderia advir do contacto com ele. Podemos, absolutamente, conviver com psicopatas sem que nos apercebamos a tempo. Esse dito rapaz, tinha diferenças visíveis, mas pouco se sabia em relação ao seu comportamento.
O que ninguém poderia adivinhar (mas sim suspeitar, pelo menos deveriam-no!) é que, quando contrariado, ou afectado de alguma forma, reagiria de forma doentia e a todos os níveis inqualificável. Desde atitudes pouco próprias, incluindo gritos doentios e manifestações de distúrbios mentais. A solidariedade das pessoas que acompanharam esses acontecimentos é de louvar, no entanto, providências deveriam ser tomadas, para o próprio bem da pessoa em questão. Ao invés de uma postura correcta e sensata, foi decidido apoiar e ignorar estas verdadeiras situações de alarme. É um aviso claro de que algo não está bem. O que poderá acontecer às pessoas que convivem diariamente com este indivíduo? Estarão em perigo? Não podemos fazer projecções, no entanto, é de supor que algo irá correr mal. A ajuda de um psiquiatra, nestas alturas, é essencial e fundamental. Como coloquei no título do meu post, As doenças mentais (algumas) têm cura! Têm de ser diagnosticadas e tratadas a tempo.
(Nota: Não coloquei mais detalhes para, evidentemente, salvaguardar a identidade dos intervenientes e a sua privacidade. Qualquer caso semelhante é pura coincidência).

3 comentários:

  1. Não que este comentário sirva de nada passado tanto tempo.
    Sim as doenças mentais têm cura, apesar de a maioria delas apenas poderem ser controláveis ou minimizados os comportamentos inadequados.

    Colocar uma 'criança' com problemas mentais numa escola comum é um assunto de muita contorversa, com vários riscos, mas também muitos beneficios. Acho que é um tema delicado. E tem de ser muito poderado e o caso acompanhado de perto e se possivel com a sensibilização das pessoas que lidam mais de perto com esse individuo.

    Agora, com a tua idade deste post, a tua visao é perfeitamente compreensível. E também é muito porvável que o caso em questão estivesse a ser um bocado negligenciado. Mas é apenas mais um como muitos outros infelizmente

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De facto, tratava-se de um colega do colégio. Recordo-me deste episódio como se fosse hoje: de um momento para o outro, enervado, desatou aos gritos, descontroladíssimo. Era um rapaz com muitos problemas e eu era um "parvito", como se lê neste texto. :s Era muito miúdo também...

      Obrigado pela compreensão. :) Tenho tanta vergonha que leiam estes textos antigos. :D

      Eliminar
    2. ahahah nao tenhas vergonha. faz parte do crescimento. por isso e que gosto de acompanhar os blogs desde o inicio. Para conseguir vislumbrar o crescimento e amadurecimento. E cada texto conta um pouco de nós. E com isso é possível criar um perfil psicologico da pessoa que esta do outro lado. Gosto muito desta parte :)

      bem a quantidade de comentários que coloquei por aqui, é bem possivel que nao veja todas as tuas respostas, que o teu blog ainda é um bocado extenso

      Eliminar

Um pouco da vossa magia... :)